São poucos os jogadores que encerram 2017 em alta com a torcida do Botafogo. Um deles é o meia João Paulo, que apesar de ter feito somente três gols nesta temporada, manteve um bom nível nos 55 jogos em que atuou. Em ano que teve também Montillo e Camilo no meio-campo do Alvinegro, ele foi o quinto atleta que mais jogou, atrás apenas de Guilherme, Bruno Silva, Gatito e Pimpão.

Bom nível que se não foi traduzido em gols, pôde ser visto com passes decisivos. O jogador de 26 anos, que chegou ao clube em janeiro, vindo do Santa Cruz, encerrou o ano com nove assistências, atrás somente de Pimpão, com onze. Foram quatro no Brasileiro, duas na Copa do Brasil, duas na Libertadores e um no Campeonato Carioca.

Assíduo e assistente, João já tem uma meta para coroar a passagem pelo Botafogo: conquistar títulos. E ele acredita que o Alvinegro está no caminho certo para isso, até pela grandeza do clube.

– Todo o atleta profissional sabe que para marcar o nome na história de um clube é necessário conquistar títulos. Nesta temporada que está acabando, tenho a certeza de que deixamos uma equipe estruturada e com um legado importante para 2018. A próxima temporada, mais do que nunca, será para a busca incessante pela conquista de títulos. O Botafogo é grande e como qualquer clube com essa grandeza tem que entrar em campo pensando em títulos. É esse pensamento que deverá mover o clube no ano que vem – comentou João, que, claro, exaltou o seu ano de 2017:

– Foi um ano especial pra mim. Logo no começo, vi as negociações com o Botafogo evoluírem e pude acertar minha vinda para um dos maiores e mais importantes clubes do futebol brasileiro. Foi a realização de um sonho. Cheguei, logo me ambientei e ganhei o respeito e o carinho de todos no clube. Tivemos uma temporada de decisões do início ao fim. Fizemos uma campanha vitoriosa na Libertadores da América e honramos a camisa alvinegra do início ao fim. Evoluímos como equipe e, em especial, como grupo. Isso moldou, ainda mais, o nosso caráter – finalizou o meia.

Fonte: Terra