As escolhas da arbitragem foram preponderantes para a derrota por 2 a 1 do Atlético para o Botafogo, neste domingo, pela 18° rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva, o técnico Rodrigo Santana e o diretor de futebol Rui Costa questionaram a marcação do pênalti para os donos da casa e, consequentemente, a expulsão de Igor Rabello, ainda no primeiro tempo. Para assinalar a penalidade e mostrar o vermelho ao defensor, aos 42 minutos, o catarinense Bráulio da Silva Machado precisou consultar o monitor do VAR à beira do gramado do Nilton Santos.

“Nós entendemos que há equívocos. Mas há equívocos aceitáveis e inaceitáveis. O VAR veio para ajudar o futebol brasileiro, não tenho dúvida alguma disso. Mas, toda vez que há uma lacuna, e essa lacuna deixa margem para interpretação, e a interpretação é feita com critérios diferentes de acordo com a camisa, isso é muito preocupante. Eu não vi pênalti no lance do Igor Rabello“, disparou Rui Costa.

A opinião do dirigente recebeu a concordância de Santana. Para o treinador, a expulsão de Rabello afetou diretamente a estratégia traçada para o confronto. “A gente não entende. O VAR veio para ajudar o futebol? Veio! Bacana! Agora, de quem é a interpretação? É lá de cima? É nossa? Quem vai ter? Então vai sempre ficar essa polêmica. Se o árbitro tivesse visto e apontado na hora, aí dá pênalti, pode cobrar, expulsa. Agora, quando fica jogando para um lado e outro, fica chato. O próprio Barroca [Eduardo,técnico do Botafogo], com quem estava conversando, não viu, não teve noção. Quando fui ver, o Igor estava com o braço junto. Depois que bate, ele abre um pouquinho”, protestou o treinador.

Dois pesos e duas medidas?

Um lance semelhante à expulsão de Igor Rabello aconteceu em um ataque do Galo, mas nada foi marcado. Os atleticanos ficaram na bronca com o juiz, que, ao contrário do lance com Rabello, não foi ao VAR verificar possível infração de Joel Carli.

“Nós tivemos hoje um árbitro que, deliberadamente, vai ao VAR. E num lance igual a nosso favor, interpretou contra nós de novo. Temos que qualificar isso, senão se fala ‘o time não jogou bem’, ‘não teve intensidade’, ‘o treinador não agiu corretamente’. Foi o contrário: o time jogou bem e, com um a menos, protagonizou o jogo. Com um a menos acabou correndo riscos e tomou o segundo gol. Mas não é possível que, com o VAR, se erre duas vezes contra o Atlético“, protestou o dirigente.

Santana, por sua vez, mencionou, ainda, outro lance semelhante, em que a arbitragem não marcou pênalti para o Athletico-PR, contra o Grêmio, pelo jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil.

“Não gostaria de tocar nesse assunto, mas é inevitável. Se foi pênalti do Igor, foi pênalti do Carli. Foi pênalti do Grêmio contra o Athletico. Mudou a direção da bola? Teve vantagem para o defensor? Está bem, foi pênalti para nós no lance do Carli“.

Protesto junto à CBF

Rui Costa garantiu que o presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, vai entrar com um protesto formal junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) por conta da atuação de Bráulio.

“Eu posso dizer a vocês que, neste momento, o presidente do Atlético está fazendo algo importante. Ele me ligou e disse ter feito um contato fundamental. E eu estou aqui exatamente para ratificar e legitimar o que ele está fazendo. O Atlético, por meio de seu presidente, já está manifestando a inconformidade em relação ao que aconteceu hoje. O Atlético já está fazendo o encaminhamento formal pelo presidente e faremos o que for necessário. Agora eu te pergunto: quando isso dá resultado?“, questionou.

Fonte: Superesportes