FLUMINENSE 0 x 0 BOTAFOGO.

Os dois times ainda procuram um formato minimamente confiável e tentam extrair das próprias mazelas um caminho para o restante da temporada.

Foram embora peças importantes, referências estratégicas, e o que ficou é de preocupar o mais otimista dos torcedores.

Podemos dizer, porém, que o Fluminense de Abel Braga foi ligeiramente melhor.

Mais até no segundo-tempo, quando o jovem técnico Felipe Conceição percebeu que precisava remontar a trinca de volantes.

Afinal, o desenho faz bem ao Botafogo desde que foi adotado por Ricardo Gomes, em 2015, com Aírton, Rodrigo Lindoso e Bruno Silva.

Problema é que Lindoso substituiu Leo Valencia formando a linha com Matheus Fernandes e João Paulo, e ainda com a missão de alimentar o ataque.

Não conseguiu.

O 3-5-2 adversário dificultou a posse de bola e a intensidade foi tricolor, com destaque para o trio Ibañez, Sonoza e Pedro.

O gol não saiu, mas esteve bem próximo.

É cedo ainda para tirar conclusões, mas parece claro faltar aos dois times “a” referência ofensiva…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online