Jair Ventura é um bom técnico e tem o elenco do Botafogo sob controle. Isso os números parecem comprovar. O treinador, porém, parece não ter encontrado uma solução para um problema criado no meio da sua trajetória por conta da infinita capacidade do Sassá de fazer besteiras.

Carta fora do baralho, Sassá sai deixando uma lacuna no comando de ataque. O treinador ainda não sabe com quem pode contar e, pior, está desconfiado de que não existe solução com as peças que tem à disposição.

O treinador do Botafogo tem manifestado indefinição entre Roger e Joel. A dúvida de Jair é o pavor da torcida botafoguense, já que nenhum dos dois conseguiu corresponder até o exato momento.

Roger parece ter mais vocação para balançar as redes. Mas até aqui tem se tornado um cemitério de jogadas e totalmente ineficiente para o estilo de jogo alvinegro, que é o de se fechar bem e surpreender o adversário.

Roger, como o próprio gosta de se definir, é um finalizador. Eu acrescentaria, bem ao estilo antigo, o que torna incompatível qualquer possibilidade de começar jogando.

Joel tem mais movimentação e até poderia se enquadrar no esquema de Jair. Mas no caso do camaronês o problema passa pela pouca eficiência com a bola nos pés e pela pontaria capaz de enlouquecer qualquer torcedor. Joel prefere cair pelos lados do campo, mas como a habilidade não lhe foi generosa, também não é solução.

O Botafogo precisa ir urgentemente ao mercado em busca de um centroavante. E não pode ser uma aposta. Tem que ser alguém conhecido e com capacidade de resolver. Não precisa nem ser dos mais caros. Basta ter movimentação e faro de artilheiro. Mas ir com Roger e com Joel para a sequência da temporada é pedir para sofrer muito na hora de finalizar.

Fonte: Blog do Mansell - Lancenet!