O Botafogo será o primeiro grande clube carioca a entrar em cena no Estadual, abrindo a segunda fase, que é realmente aquela capaz de ainda atrair algum interesse por conta da presença dos grandes.

Estreia nesta terça-feira, às 21h30m, contra a Portuguesa, no Estádio Nilton Santos, em jogo isolado, “abrindo” a competição sem o menor charme ou apelo.

E é de se lamentar, porque desta vez a entidade fechou parceria para fomentar a promoção do evento.

E o que se vê de novo?

Rigorosamente nada.

O jeito é por fé na expectativa em torno deste novo time alvinegro que começa a ser montado.

PORQUE é tudo novo: presidente, diretoria administrativa, executivo de futebol, comissão técnica _ e até, por que não dizer, o time.

Felipe Conceição, o técnico que substitui Jair Ventura, herda um elenco renovado, com apostas interessantes nas linhas de frente, todas na faixa do vinte e poucos anos.

Leandro Carvalho, Renatinho, Luiz Fernando e Ronny são jogadores de velocidade, com chegada na área e jogo ofensivo.

Nem todos estarão em campo nesta primeira partida, e a contratação de Ronny ainda não está selada.

Mesmo assim, Anderson Barros trabalhou muito bem neste retorno ao posto de executivo de futebol.

O SETOR DEFENSIVO, apesar da saída do zagueiro Emerson e do lateral Victor Luis para o Palmeiras, manteve a base bem razoável.

Gatitto ou Jefferson, Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Gílson ainda formam uma defesa sólida, embora os laterais ainda estejam sob desconfiança.

O meio-campo perdeu pouco com a saída de Bruno Silva, mas ficaram Matheus Fernandes, João Paulo, Lindoso, Marcus Vinicius e Valência.

E somam-se alguns jovens da base, mas Luiz Fernando, de 21 anos, que fez nove gols em 42 jogos pelo Atlético-GO, e Renatinho, de 25, autor de 18 gols em 54 jogos pelo Paraná.

FALTA a este time agora dirigido pelo jovem Felipe Conceição um camisa nove experiente, goleador mais rodado, que possa escorar as jogadas de fundo. Rodrigo Pimpão permanece, o que garante o jogo pelo lado esquerdo, e chegam opções pelo lado direito.

Um é Leandro Carvalho, de 22 anos, que tem boa chegada na diagonal (fez sete gols em 41 jogos por Paysandu e Ceará) e o outro seria ou será o Ronny, também de 22, jogador que despontou bem no Náutico em 2016 e fez oito gols em 36 jogos pelo Albirex Niigata, do Japão, em 2017.

É jogador de explosão que pode atuar também pelo meio do ataque.

O BOTAFOGO se renovou e seus torcedores começam a acompanhar a construção de um novo ciclo…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online