12 segundos.

Foi o tempo que o Botafogo durou no Mineirão. Um recorde nesse campeonato brasileiro que dificilmente será quebrado.

Marca que só o Botafogo se orgulha de ter. Parecia jogo de adulto contra criança.

A derrota para o Atlético-MG provou que a vitória em Porto Alegre diante do Internacional foi um pequeno acidente de percurso.

O Botafogo do Mineirão, sim, é o verdadeiro. Responsabilizar os erros da arbitragem, que de fato prejudicou o time, não serve como justificativa. Não para um time que leva 5 gols.

É a velha história do cobertor curto. O problema era a falta de gols porque do meio para trás a coisa estava ajustada. Então tá. Desde a entrada de Camilo  foram 6 gols em 2 jogos, ou seja, de fato o setor ofensivo deu sinais de reação. Em compensação a defesa é uma peneira.

Emerson, zagueiro e capitão, foi rebaixado com o Avaí. Renan Fonseca só joga porque Carli está contundido. Ambos são fracos e lentos. Isso sem contar que não existe proteção dos chamados volantes.

Aírton, como de hábito, está contundido e Dudu Cearense jogou apenas uma partida desde que desembarcou.

O Botafogo porém evoluiu. E como. A média de 2 jogadores lesionados por jogo caiu para 1. A marca registrada na derrota em Belo Horizonte foi a contusão de Ribamar.

Mas o torcedor não deve se preocupar. Como dizem os dirigentes e o técnico Ricardo Gomes ‘está tudo sob controle’.

Só eles não sabem que o quadro é irreversível.

Fonte: Blog Bate-Pronto - Bruno Voloch - Yahoo! Esportes