Após um início de temporada nebuloso e aquém das expectativas em vários sentidos, o Botafogo vai encontrando seu rumo no Campeonato Brasileiro.

Ainda é cedo pra falar que estamos bem. Apesar disso, é visível o crescimento do time nas últimas rodadas, diante de uma nítida melhora no futebol apresentado – e, consequentemente, no número de gols marcados.

Depois de muito oscilar nas escalações na busca de um 11 inicial perto do ideal, Ricardo Gomes parece, enfim, ter o grupo nas mãos. Com seu eficiente esquema e suas variações de acordo com o adversário, é possível transformar o nosso elenco em um time minimamente competitivo.

Principal responsável pela boa fase dentro de campo, o meia Camilo incorporou o botafoguismo de sua família ao vestir nossa camisa. Com muita dedicação, vontade e técnica, ele vem comandando o meio-campo e mostrando uma impressionante visão de jogo – como dizem os boleiros, tem “olho na nuca”.

A boa fase do novo camisa 10 também elevou o desempenho de outros jogadores, como Neílton e Sassá. Outros contratados, Pimpão e Canales também prometem qualificar o setor ofensivo, tão combalido no 1º semestre. Com a iminente saída de Ribamar, resta saber se Luis Henrique vai pôr em prática o enorme potencial que sempre demonstrou ter.

Outra notícia animadora é a volta dos lesionados. Leandrinho e Carli, titulares ao se lesionarem, buscam dar equilíbrio à equipe. O primeiro, como extremo; o segundo, no lugar do fraco Renan Fonseca, fazendo dupla com Emerson, que também voltou bem do DM e teve boa atuação contra o Santa Cruz.

Para materializar de vez a boa fase, a CBF confirmou a liberação definitiva da Arena Botafogo para os jogos contra Flamengo e Palmeiras. O estádio, que já tem a cara do Alvinegro, tem tudo pra ser o nosso novo caldeirão – com suas arquibancadas coladas ao campo, a pressão da torcida será um elemento a mais durante os 90 minutos.

Daqui pra frente, dois pontos principais serão decisivos pra nossa campanha:

1) Ricardo Gomes precisa encontrar um equilíbrio na escalação com todo o elenco à disposição. Achando um meio-termo perfeito entre defesa e ataque, como possibilita o seu 4-4-1-1 com extremos, o time pode decolar. O ataque finalmente está produzindo bem, mas a defesa está exposta e sofrendo muitos gols. Acertando isso, faremos um campeonato tranquilo e sem sustos.

2) Segundo mas não menos importante, o departamento médico precisa se acertar. É inacreditável o gigantesco número de lesões musculares nesses 6 meses. A diretoria sinaliza com a chegada de novos equipamentos e torço pra que isso reduza drasticamente a quantidade de problemas musculares. Treinar na Arena ou no CEFAT também parece ser ótima ideia, visto que o gramado de General Severiano está sofrível.

De maneira geral, esse é o melhor momento do Botafogo no ano. Não precisava ser tão mal planejado, é verdade, mas as esperanças de fazer um campeonato minimamente digno estão aumentando. Notar que existem muitos adversários fracos também nos tranquiliza, visto que é com eles a nossa briga direta. A meta dos 45 pontos será alcançada e, enfim, poderemos planejar um 2017 muito melhor.

Saudações Alvinegras

Fonte: Blog Preto no Branco - Pedro Chilingue - ESPN FC