Num dos piores Estaduais dos últimos anos, o Flamengo conquistou antecipadamente o seu primeiro título: o da Taça Guanabara, que lhe garante vantagens na decisão do título carioca (passa a jogar por dois empates na semifinal e na final).

A vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo, que voltou a atuar com uma equipe reserva, além de dar o troféu ao Fla, eliminou de vez o Glorioso, campeão do ano passado – que, desde o início da competição deixou claro que sua prioridade total era a Libertadores (que o Fla também disputa).

Mais do que comemorar o título, ou lamentar a perda dele, o que os quatro grandes deveriam fazer é aproveitar as evidências de que o torneio está completamente falido (e piora ano após ano), para exigir da Federação um campeonato mais enxuto e com menos datas no ano que vem, permitindo um trabalho bem feito de pré-temporada e até amistosos que poderiam ajudar a reforçar o caixa e o elenco.

O deplorável estado dos gramados e de vários dos estádios, o público reduzidíssimo e a péssima qualidade dos jogos são provas cabais de que o Estadual do Rio (como a maioria dos demais) não é digno de um futebol profissional, que mexe com milhões de reais, como o atual.

Está mais do que na hora de acordar.

Fonte: Blog do Renato Maurício Prado - O Globo Online