Jair Ventura começa a montar o Botafogo à partir do quadrado João Paulo, Camilo, Montillo e Roger.

Um avanço e tanto, necessário até, para um coletivo que antes rodava em função de uma linha de três volantes que equilibrava e sustentava o sistema.

Agora o Botafogo precisará ser mais senhor de si, dono das ações.

Precisará da posse da bola.

E neste particular a presença do argentino ganha ainda mais importância.

Montillo terá liberdade para trabalhar por entre as linhas adversárias, descobrindo espaços para a transição ofensiva.

Mais ou menos como Seedorf na curta por General Severiano.

E com Camilo a auxilia-lo.

Restará ver, ao menos para mim, como o artilheiro Roger vai reaparecer.

O atacante que veio da Ponte Preta terá que mostrar mobilidade para facilitar as infiltrações dos meias.

A menos que a diretoria encontre uma boa opção de velocidade no ataque pelas pontas.

Ou que Jair Ventura consiga um pouco mais do serelepe Sassá.

A conferir…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online