O Botafogo não é um time sem vergonha, como sugeriu sua própria torcida após a derrota para o Atlético-PR por 1 a 0.

Basta olhar para a classificação do returno e perceber que ainda é o time de Jair Ventura quem a lidera.

Mas é realmente frustrante vê-lo desperdiçar as oportunidades que a competição lhe oferece.

Foi a terceira derrota alvinegra nos últimos cinco jogos em casa, e a terceira também em oito disputados nos últimos trinta dias.

A torcida alvinegra queria mais _ e é justo!

Queria sobre tudo festejar a conquista de um título.

Mas todos nós, alvinegros ou não, sabemos se tratar de um time que joga em seu limite.

Neste sábado, foram 534 passes trocados em busca do caminho do gol, com 35 cruzamentos, 39 lançamentos e 14 finalizações.

Faltaram velocidade e um pouco mais de talento individual para quebrar as linhas de marcação.

O Botafogo tem difculdades quando tem a obrigação de assumir o papel de mandante e isso é claro.

O Atlético-PR de Fabiano Soares explorou a ansiedade alvinegra, trocou 397 passes e foi ao ataque em 59 lançamentos _ dados do Footstats.

Conseguiu o gol no terceiro chute do meia Guilherme da entrada da área, contando com a infelicidade do goleiro Gatito Fernandez, e se fechou com eficiência.

E não houve jeito dos donos da casa evitarem a derrota.

Em alguns jogos, com cenários bem parecido, o acaso ajudou o esforço dos alvinegros.

Desta vez não foi possível _ paciência.

Mas não dá para dizer que é um time “sem vergonha”.

O Botafogo ainda está no lucro.

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online