Zé Ricardo, enfim, enxergou que o esquema utilizado anteriormente não daria certo no Botafogo.

Mudou.

E deu certo.

Apesar do empate com o Cruzeiro, ficou claro que o time sem Leo Valência, finalmente barrado, e jogando com 3 volantes é mais equilibrado e acaba menos exposto.

O Botafogo até que jogou boa parte da partida de igual para igual. Correu os riscos necessários e merecia sorte melhor diante da torcida.

Não faltou empenho, mas a dedicação não esconde as limitações do elenco e não garante dias melhores.

Só que no dia que consegue ser levemente superior ao adversário o Botafogo é traído pelo goleiro. Enquanto Fábio fechou o gol e evitou a vitória, Saulo entregou o ouro. A falta foi de muito longe e a bola defensável na falta cobrada por Edilson.

Fato é que o Botafogo segue ladeira abaixo e se mantiver esse aproveitamento não irá escapar da segunda divisão em 2019.

Fonte: Blog do Bruno Voloch - Gazeta Esportiva