Coitado do Zé.

Ele imaginou uma coisa, teve a melhor das intenções, mas esbarrou na ruindade do elenco do Botafogo. Tudo bem que ele tem pouco tempo de casa, mas o técnico exagerou.

O time limitadíssimo do Botafogo não pode propor jogo para quase nenhum adversário.

Talvez ainda vivendo os efeitos da empolgante vitória contra o Nacional do Paraguai, Zé Ricardo pensou que o Botafogo conseguiria jogar de igual para igual com o Atlético-MG.

Negativo.

Faltou conhecimento de causa ao treinador, que repito, pensou grande demais.

Zé usou 4 atacantes no segundo tempo. 4 que se somados não dão um Ricardo Oliveira. O Botafogo perdeu de pouco. Ferimentos leves.

O primeiro passo a partir de agora é entender as limitações do elenco e entender que o time é fraco. Se Zé Ricardo respeita a torcida e quer ter vida longa como técnico do clube, precisa barrar ontem Aguirre e nunca mais usar Luis Ricardo.

O Botafogo, e é bom que Zé leia logo isso, joga o brasileiro para não cair. Como time pequeno mesmo. Estilo clássico de Joel Santana. Fechadinho atrás e por uma bola.

Caso contrário, o jogo contra o Palmeiras será outro desastre.

Fonte: Blog do Bruno Voloch - Gazeta Esportiva