Sejamos justos. Não há muito o que discutir sobre Sport x Botafogo. Se não fosse Gatito, o Botafogo teria deixado Recife com uma goleada nas costas.

O empate, independentemente da incompetência de Pimpão na frente, caiu do céu.

O que ninguém consegue entender é o prestígio inabalável desse chileno Leo Valencia. Não me recordo de nenhum jogo razoável desse rapaz que veste a camisa 10 do time. Um ou dois se tanto, caso minha memória tenha me derrubado.

Gols? 1 ou 2 também.

Não pode o Botafogo ficar refém da criatividade dele.

Quem é o padrinho de Leo Valencia no Botafogo.

Admiro que até agora Alberto Valentim não tenha se tocado que Leo Valencia não jogada nada. Já passou da hora dele acordar.

Retorno zero.

Fonte: Blog do Bruno Voloch - Gazeta Esportiva