Depois de perder Sidão, o Botafogo não perdeu tempo, correu atrás de um novo goleiro e contratou Gatito Fernández, do Figueirense, para as duas próximas temporadas.

Gatito Fernández teve nesta temporada o melhor ano da sua carreira, quando entrou em campo 49 vezes, pelo Figueirense. Além da equipe catarinense, o paraguaio atuou pelo Cerro Porteño, do Paraguai, Estudiantes e Racing, ambos da Argentina, além do Vitória.

No Rubro-Negro baiano, Gatito Fernández atuou entre 2014 e 2015. Na ocasião,  chegou ao Vitória para compor elenco e ser reserva de Fernando Miguel. Entretanto, o titular sofreu lesão grave, ficou fora de combate e abriu espaço para o paraguaio. Em 2015, Gatito participou da campanha de acesso da equipe à Série A do Brasileiro.

Para poder apresentar Gatito Fernández ao torcedor do Botafogo, o Esporte Interativo conversou com o jornalista Marcello Gois, da rádio Tudo FM e setorista do Vitória no período em que o paraguaio atuava no Leão, para saber as virtudes do goleiro e os pontos fracos.

“Gatito tem uma boa impulsão, ótimo reflexo, o que garante defesas seguras, agilidade para sair do gol. Além disso, ele é excelente no um contra um e, apesar da aparente timidez, mostra liderança quando necessário. O ponto negativo é a falta de habilidade para jogar com a bola nos pés. Nos tempos de Vitória, a saída do gol era um fundamento que ele buscava melhorar. O que pude acompanhar nos jogos do Figueirense, ele evoluiu bastante nesse quesito”.
Júnior ‘Gatito’ Fernandez – Titular do Vitória na reta final deste Brasileirão, o paraguaio ganhou o apelido de ‘Gatito’ por ser filho de Roberto ‘Gato’

O Esporte Interativo entrou em contato com Fernando Miguel, companheiro de posição de Gatito Fernández nos tempos de Vitória. O atual camisa 1 do Leão não poupou elogios ao paraguaio e aproveitou para desejar boa sorte ao amigo.

“Gatito é um grande amigo. Passamos dois anos juntos trabalhando no Vitória. O torcedor do Botafogo pode ficar tranquilo que vai ter um grande profissional no clube. Não vou falar da qualidade dele, pois durante a temporada o torcedor vai poder ver com os próprios olhos o potencial dele. Desejo toda sorte do mundo ao Júnior (Gatito Fernández). Espero que ele possa ser feliz e bem sucedido no Botafogo”.

Em 2016, Gatito Fernández se transferiu para o Figueirense e, apesar do time ter sido rebaixado à Série B, o arqueiro se destacou pela equipe catarinense. Rodrigo Faraco, comentarista na rádio CBN, teve a oportunidade de acompanhar o rendimento do goleiro durante toda a temporada. Em contato com o Esporte Interativo, Faraco elogiou a contratação do Botafogo e disse que o paraguaio pode se tornar referência na meta alvinegra.

“Sobre o Gatito tenho uma avaliação muito boa a respeito dele. Ele é um goleiro de grandes defesas. Durante o ano, salvou o Figueirense em muitos jogos. Foi crescendo com o passar dos tempos. Chegou inseguro e um pouco fora de ritmo. Então, foi ganhando esse ritmo e no meio da temporada para frente se saiu muito bem. O fundamento que o Gatito tem dificuldades é a saída do gol por cima. Bola aérea. Teve um jogo contra o Botafogo, inclusive, no primeiro turno. No começo do segundo tempo, ele errou uma saída por cima e depois não saiu mais, pois ficou com medo. Mas até nesse ponto, o Gatito evoluiu bastante durante o ano. Eu acho que o Botafogo contratou um bom goleiro. Contratou um goleiro que pode se tornar referência no gol do Botafogo”.

No Figueirense, Gatito Fernández teve como técnico Tuca Guimarães, quem rasgou elogios ao ex-colega na equipe catarinense. Segundo o ex-treinador do paraguaio, o novo camisa 1 do Botafogo tem muito potencial, além de ser uma pessoa brilhante fora das quatro linhas.

“Eu só tenho coisas boas para falar a respeito do Gatito. É um cara brilhante tanto dentro de campo quanto fora.  Uma pessoa de caráter além de ser um excelente profissional. Quando assumi o Figueirense, Gatito estava entre os suplentes. E disse para ele que ele seria o meu titular e tinha certeza que ele se sairia muito bem. Então, além de ser um grande jogador, passou a ser um grande amigo. É um cara que eu tenho um respeito enorme. Ele trabalhou com muita gente no futebol e, portanto, trocamos muita experiência no futebol. é um cara que se tornou meu amigo, né. O Botafogo fez bem em contratá-lo”.

Gatito Fernández tem 28 anos e compareceu, na última terça-feira (29), em General Severiano para realizar exames e assinar com o Botafogo. No mesmo dia, o goleiro voltou para Florianópolis e se juntou à delegação do Figueirense. O jogador ainda tem mais um jogo com a camisa do Figueira, 38ª rodada do Campeonato Brasileiro, diante do Sport, na Ilha do Retiro.

Fonte: Esporte Interativo