Bolívar: ‘Acho que no Botafogo está se iniciando era vitoriosa’

Compartilhe:

Sete meses se passaram,mas parece que Bolívar está no Botafogo há anos.A identificação com o clube e a adaptação ao calor do Rio, depois de uma década convivendo com o frio de Porto Alegre e de Mônaco, aconteceram rapidamente. Não por acaso. Sabendo do interesse do Alvinegro, o zagueiro começou sua preparação nas férias e chegou “voando”. O esforço deu tão certo que até artilheiro ele virou nos primeiros jogos. Em alta como um dos líderes da equipe, o “General” revelou a o desejo de ficar no clube até a aposentadoria e a obsessão pelos títulos do Brasileirão e da Copa do Brasil.

Bolívar exalta felicidade com boa fase do Botafogo

Foto:  Divulgação

O DIA: Por que acredita que teve uma adaptação relâmpago ao Botafogo?

BOLÍVAR: Ela foi muito rápida porque acabei me preparando muito nas minhas férias. Eu já sabia da proposta do Botafogo, então tinha que chegar e provar toda a qualidade que havia demonstrado no Internacional. Me preparei em todos os aspectos, tanto físico quanto técnico e psicológico, porque seria uma mudança grande na minha vida, na rotina, na própria cultura, que é muito diferente aqui no Rio. Estava acostumado com o frio e tive que me adaptar muito rapidamente ao calor que faz aqui no começo do ano. Várias coisas me ajudaram.

O DIA: Existem grandes diferenças entre o Botafogo e o Internacional?

BOLÍVAR: O Inter tinha uma coisa parecida com o Botafogo. Eu cheguei em 2003, mas a partir de 2006 ele se tornou um clube mais vitorioso. Houve uma grande mudança em todos os aspectos, no patrimônio do clube, no número de sócios. Acho que no Botafogo está se iniciando uma era como essa. Conseguimos fazer um ótimo primeiro semestre e agora estamos conseguindo dar continuidade, mesmo com todas as dificuldades.

Bolívar marcou na estreia pelo Botafogo

Foto:  Márcio Mercante / Agência O Dia

O DIA: Você conquistou 11 títulos na sua carreira mas ainda não venceu o Brasileirão. Tem uma motivação a mais para ganhá-lo?

BOLÍVAR: Sem dúvida. Tanto o Brasileiro quanto a Copa do Brasil são dois títulos que estive bem perto de vencer e acabei não levando. No Brasileiro, fiquei duas vezes como vice-campeão por um ponto. É uma coisa que vem me perseguindo, mas a gente sente que o Botafogo está no caminho certo. A gente sabe que está muito distante, mas o caminho vem sendo traçado. A Copa do Brasil eu perdi a final para o Corinthians. E o Botafogo continua nela. São duas competições que vou ter a oportunidade de participar e, quem sabe, alcançar esses objetivos.

O DIA: Dá para conseguir os títulos das duas competições?

BOLÍVAR: Acho que sim. A direção montou um plantel já pensando nesse caminho que o Botafogo está traçando, de campanhas vitoriosas. Provamos no Carioca que temos elenco qualificado, o Oswaldo está conseguindo no Brasileiro colocar vários jogadores que não vinham atuando. O Botafogo está preparado.

O DIA: Você demonstrou algumas vezes o interesse em renovar seu contrato, que vence no fim do ano. Já começaram as conversas?

BOLÍVAR: No momento, ainda não tem nada definido. Meu objetivo é permanecer aqui. Eu falo isso sempre nas minhas entrevistas. Peguei um carinho rápido pelo clube e pelas pessoas que aqui trabalham. Tive uma adaptação rápida porque sempre tive o carinho e o respeito das pessoas. Minha vontade é de permanecer, até porque minha família também está muito bem adaptada. Pretendo fazer uma carreira aqui e, quem sabe, encerrá-la no Botafogo.

O DIA: Acha que seu bom momento está ajudando a apagar a imagem de jogador violento?

BOLÍVAR: Eu acho que sim. Aqui a divulgação é muito positiva. Essa imagem que passaram da minha pessoa não é o que vem acontecendo aqui e sempre foi dessa maneira. Claro que sou um jogador muito viril, que costuma não brincar em serviço. Foi dessa maneira que alcancei minhas conquistas. Já são dez partidas no Brasileirão e apenas um cartão amarelo. Isso é uma coisa muito bacana.

O DIA: Você venceu a maioria dos Gre-Nais que disputou e no Rio só perdeu um clássico (para o Flamengo na Taça Guanabara). Existe um segredo para não perder para os grandes arquirrivais?

BOLÍVAR: As equipes em que eu atuei sempre foram muito seguras e objetivas no que queriam, que era a vitória. E aqui no Botafogo não está sendo diferente. A equipe sabe que não pode dar espaços nos clássicos e tem mostrado muita concentração nesses jogos.</MC> Estamos muito decididos e preparados para enfrentar qualquer adversário.

O DIA: Como o Botafogo tem que entrar em campo hoje para derrotar o Vasco e seguir líder no Brasileiro?

BOLÍVAR: A gente tem que repetir o desempenho. O Botafogo vinha numa sequência de não conseguir manter a regularidade do primeiro para o segundo tempo. Mas a partida contra o Vitória mostrou que a equipe aprendeu com os erros e conseguiu ter uma atuação segura. O Botafogo vai manter a regularidade e a concentração porque sabemos que o Vasco está em ascensão.

O DIA: Existirá um cuidado especial para não serem feitas faltas na entrada da área, por causa da qualidade do Juninho Pernambucano?

BOLÍVAR: Tem que ter esse cuidado. Mesmo nas faltas laterais, porque a maioria dos jogos está sendo decidido em bola parada. E a gente sabe da qualidade do Juninho. A gente sabe que não podemos entrar muito afoitos para não dar oportunidade ao adversário.

Fonte: O Dia Online

Comentários