Bota tenta repor perdas, mas parte financeira complica

Compartilhe:

 O Botafogo perdeu dois de seus principais jogadores de meio de campo durante a paralisação do Brasileiro para a Copa das Confederações, Fellype Gabriel e Andrezinho. O primeiro foi para o Sharjah FC, dos Emirados Árabes, e o segundo para o chinês Tianjin Teda. O técnico Oswaldo de Oliveira disse que a diretoria está em busca de peças de reposição, mas a crise financeira tem limitado as ações.

O comandante alvinegro afirmou que, mesmo no caso de os reforços não chegarem, o Bota pode continuar competitivo com o que já tem em seu plantel.

– Nós temos tentado sim. É difícil conseguir porque a parte financeira não pode ser mais exigida. Na medida do possível, temos tentado, procurado. Se não for viável, vamos com o que nós temos. São perdas difíceis de serem supridas, mas ninguém é plenamente insubstituível. Tenho certeza de que vamos conseguir – avisou.

Apesar da perda de jogadores, Oswaldo não dá indícios de que pensa em mudar seu esquema tático. Ele pretende encontrar dentro do elenco atletas que possam se adaptar ao que ele deseja. No sábado, no jogo-treino com o Audax, em Moça Bonita (empate em 1 a 1), por exemplo, Rafael Marques foi escalado aberto pelas pontas e Sassá ficou centralizado na frente.

– Não vai mudar o esquema. A característica de jogador a gente procura adaptar, orientar. Vamos buscar isso. Mesmo no ano passado, com o Fellype machucado, fizemos várias partidas sem ele e vencemos a maioria delas. É uma questão de a equipe criar suas alternativas.

Depois do domingo de folga, o Botafogo volta a treinar na tarde desta segunda-feira, no campo anexo do Engenhão. Quarta-feira, em Volta Redonda, a equipe enfrenta o Figueirense pela Copa do Brasil. No domingo, o clássico com o Fluminense, na Arena Pernambuco, marca o reinício do Brasileiro para o Glorioso, que está em terceiro lugar na tabela de classificação.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários