Cristina foi contratado de volta para o Corinthians, depois de cinco anos na Turquia, por Andrés Sanchez. O volante é muito próximo da família do ex-presidente. Mas Mano Menezes também concordou com o seu retorno em 2014. Não havia o que fazer. A diretoria estava satisfeita. Certa que estava repatriando um ídolo ‘de graça’.

Depois de cinco anos, Cristian foi dispensado pelo Fenerbhace. Por excesso de estrangeiros no elenco. Assim como, o zagueiro nigeriano Yobo e o meia sérvio Krasic.

O clube paulista não teria de pagar um centavo a clube algum. Em compensação, reservou um contrato sensacional para o atleta que tinha 31 anos. R$ 500 mil, em média, por três anos. Dá um total de R$ 18 milhões. R$ 19,5 milhões, contando o 13º.

Para não imitar a política de Mario Gobbi, emprestar e pagar para jogador atuar em outro clube, Corinthians fica travado. Segue bancando R$ 500 mil mensais com Cristian. Reserva do reserva. Volante que Tite não quer…

Só que o jogador não conseguiu se firmar com Mano Menezes. Com Tite foi pior ainda. O treinador não o vê com capacidade sequer para brigar com a vaga de segundo volante com Elias. Improvisá-lo como primeiro, à frente da zaga, pior ainda.

Com o dinheiro comprometido, hoje ele é o segundo atleta mais caro do elenco corintiano.

Só perde para Elias, que recebe R$ 550 mil.

O jogador treinou muito durante as férias. Tinha a certeza que teria nova chance em 2016. Mas Tite o chamou para uma conversa sincera. Disse que não havia espaço para ele como titular. Não estava nos seus planos. Melhor seria procurar uma equipe para atuar, ser titular.

E, por isso, não foi inscrito no Campeonato Paulista.

A postura do treinador foi pública.

Com a intenção de despertar interesse de algum clube.

Só que o Brasil está mergulhado na recessão.

Os presidentes das grandes equipes se assustaram com os valores que o Corinthians comprometeu com o atleta. E Andrés e Roberto só aceitam emprestá-lo se quem levar pagar todo seu salário. Não querem pagar parte alguma.

Foi oferecido para o Atlético Mineiro, Flamengo, Vasco, Cruzeiro. E nada. Ninguém ousou pensar na possibilidade. Clubes como o Botafogo, Ponte Preta, Náutico o aceitaram de bom grado. Desde que o Corinthians seguisse pagando seus R$ 350 mil. O que o clube paulista não aceita de jeito algum.

Cristian tem 32 anos. Não pode jogar no lixo mais dois anos de contrato. Ninguém vira as costas a R$ 500 mil mensais. Seria uma enorme estupidez. Por isso não aceita a simples dispensa do Parque São Jorge.

O impasse chegou de volta a Tite. O treinador e o presidente Roberto de Andrade conversaram sobre o caso. E, diante do quadro atual, a melhor coisa que decidiram foi inscrever o atleta na Libertadores. Ambos não se importaram com a contradição. Na prática, ele não serve para o Paulista. Mas sim para o Brasileiro.

Fonte: Blog do Cosme Rimoli - R7