Arquibancadas lotadas não têm sido uma das virtudes deste Campeonato Brasileiro. Depois de dez rodadas disputadas, a atual edição registra índices de apenas 33% de ocupação nos estádios. E um dos principais responsáveis pelos números discretos é o Botafogo. Com média de 3.330 pagantes por partida, o clube está à frente apenas do América-MG (1.566 torcedores por jogo).

Dois dos três piores públicos foram registrados em duelos protagonizados pelo Alvinegro: quando recebeu Vitória e o próprio América-MG, nos últimos dias 12 e 15, no Raulino de Oliveira. Nem mesmo promoções que envolviam entradas gratuitas para mulheres e crianças fizeram os números aumentarem em Volta Redonda.

A diretoria acredita que uma evolução do time (atualmente na 19ª colocação) atrairá o torcedor menos entusiasmado. Mas a grande aposta é a Arena Botafogo, na Ilha. Pacotes com direito a ingressos para todas as partidas do clube como mandante na Série A são vendidos a sócios-torcedores por valores entre R$ 225 e R$ 450. Há ainda a possibilidade de adquirir o pacote VIP, que custa R$ 199 por mês.

— Os preços são baixos de propósito. Queremos lotar a Arena, porque estamos preocupados com a qualidade do jogo — justifica Marcio Padilha, vice de marketing.

Mas a adesão ainda está bem longe da projetada pelo clube. Só 821 pacotes foram comercializados (600 para arquibancada, 140 para cadeiras sociais e 81 para o setor VIP). A diretoria planeja vender até 13 mil.

Contribui para isso o fato de a inauguração do estádio na Ilha ser constantemente adiada. A ideia inicial da diretoria era que o local já tivesse sido usado na partida contra o Vitória. Mas o atraso nas obras obrigou o Botafogo a recorrer a estádios menos atraentes — e mais distantes.

Fonte: Extra Online