Após algumas temporadas complicadas, o Botafogo esperava virar a página em 2020 com o processo de transformação em clube-empresa. Enquanto isso não ocorre, o sentimento é de que nada havia mudado. Porém, a contratação de Honda faz com que o Alvinegro de um momento de felicidade ao seu torcedor.

Mais do que isso. A chegada do meia japonês faz com que a torcida volte a abraçar o clube. A união é vista como fundamental para o bom desempenho do Botafogo na temporada. É que a festa feita pelos alvinegros na reta final de 2019 foi decisiva para o time ganhar partidas importantes na luta contra o rebaixamento.

O clube já trabalha em cima de um “plano de marketing” para ser utilizado desde o momento da contratação do japonês. Haverá uma meta a atingir em adesões de novos sócios-torcedores, mas maiores detalhes ainda serão mantidos em sigilo.

Ainda baseado na motivação da torcida, o Botafogo aposta também que haverá um aumento significativo na venda de camisas. Para isso, o Alvinegro quer uma rápida definição de qual será o número utilizado por Honda. O japonês já vestiu a tradicional 10 no Milan, mas ficava com o 4 na seleção japonesa. Em General Severiano existe a possibilidade da mítica 7. As três opções são uma possibilidade.

Além da imagem dentro do próprio universo do Botafogo, a chegada de Honda poderá também mudar a forma dos demais verem o clube. Um fenômeno parecido quando Seedorf fechou com o Alvinegro, que passa uma mensagem que não quer mais ser tratado como azarão nas competições que disputa.

Outro aspecto é visibilidade no exterior. Um dos maiores jogadores asiáticos de todos os tempos, Honda já elevou o nome do Botafogo no continente. Com sua chegada ao Rio de Janeiro é normal que o interesse aumente ainda mais. Esse fenômeno foi visto com Seedorf, que levava jornalistas estrangeiros a cada semana em sua passagem no Alvinegro.

Fonte: UOL