O Botafogo iniciou a temporada disposto a reduzir seus gastos no futebol. Não renovou com Oswaldo de Oliveira e apostou em Eduardo Hungaro, técnico ‘caseiro’ e mais barato. Além disso, perdeu Seedorf e Rafael Marques e contratou atletas com salários mais baixos. Em resumo, o Alvinegro conseguiu reduzir sua folha em R$ 1,5 milhão – de R$ 4 milhões para R$ 2,5 milhões. Tudo para manter os vencimentos em dia, mas logo no primeiro mês a promessa foi quebrada.

Tradicionalmente, o vencimento no Botafogo ocorre no dia 20 do mês seguinte. Portanto, janeiro deveria ter sido quitado há 19 dias. O primeiro salário do ano só caiu na conta dos jogadores na última segunda, após dirigentes e jogadores terem se reunido para resolver a pendência, que já causava certo desconforto entre as lideranças do elenco.

Ao mesmo tempo em que o Botafogo sofre para manter os salários em dia, o clube acumula receitas recordes com relação a patrocínios. Para a atual temporada, o Alvinegro conseguiu somente com Guaraviton e TelexFree valores próximos aos R$ 30 milhões, o que dividido pelos 12 meses daria justamente os R$ 2,5 milhões da folha salarial.

O problema é que o Botafogo sofre com dívidas antigas que precisam ser pagas com esse dinheiro. Assim, o clube tem desfalque financeiro importante e tenta mensalmente conseguir a verba para manter salários em dia. Uma das possibilidades é a venda de jogadores, o que deverá voltar a ocorrer na janela de inverno, provavelmente com Gabriel e Dória.

Apesar dos problemas financeiros, o técnico do Botafogo, Eduardo Hungaro, diz confiar na hombridade do elenco, que, em sua maior parte, enfrentou os mesmos problemas na temporada passada. Segundo ele, os jogadores querem receber como qualquer trabalhador, mas que os torcedores podem ficar tranquilos com relação à seriedade dos atletas.

“A situação dos atrasados preocupa, mas este grupo mostrou um nível de profissionalismo absurdo ano passado. Ultrapassamos este obstáculo e tivemos ótimos resultados. São homens de verdade, maduros”, disse o treinador alvinegro.

O Botafogo seguiu viagem na última segunda para Guayaquil, onde ficará até quarta, data da partida contra o Independiente José Terán-EQU na altitude de Quito. O Alvinegro é o líder do grupo 2 com quatro pontos e uma vitória nessa partida deixaria o time em situação bastante confortável.

Fonte: UOL