O Botafogo está satisfeito com seu atual elenco para a disputa do Campeonato Carioca de 2020. Essa foi a afirmação feita por Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente e membro do comitê do futebol do Alvinegro, ao LANCE!. Esperançoso com a aprovação do “projeto S/A”, o clube manterá uma postura de austeridade até a provável mudança no modelo de gestão, que pode ser concretizada entre três a cinco meses.

Dito isso, o Alvinegro manterá uma atitude passiva no mercado e agirá apenas caso perca jogadores importantes, buscando por reposições. Em contrapartida, nas palavras de Montenegro, o Glorioso manterá uma “postura ativa no que diz respeito a sanar os atrasos salariais do elenco”.

No último dia 6 de dezembro, há pouco mais de uma semana, o Botafogo quitou os salários de agosto e outubro, além de ter pago a primeira parcela do 13º. Ainda estão em aberto os direitos de imagem desde setembro, os vencimentos de novembro, além da segunda parcela referente ao ‘mês’ 13. Além disso, o clube admite que terá dificuldades para acertar os valores de dezembro.

Na busca por equilibrar as contas, o Botafogo pretende começar o ano com uma folha salarial de R$ 1 milhão. Para isso, o Glorioso pretende liberar Léo Valencia e negociar uma redução nos vencimentos de Diego Souza e Cícero, que devem permanecer. Na lista de dispensas estão Rodrigo Pimpão, Gilson, Arnaldo, Alan Santos (emprestado pelo Tigres, do México), Fernandes, Jean (emprestado pelo Corinthians), Yuri, Renan Gorne, Pachu e Amilcar.

Fonte: Terra