Depois de solicitar a presença de um psicólogo para a atual temporada, a comissão técnica do Botafogo também sugeriu outro fator extracampo para lapidar o rendimento dos atletas nos jogos: uma balança de bioimpedância, que é capaz de calcular o IMC (índice de massa corporal), taxa de gordura ou muscular, massa óssea, água, proteínas, entre outras informações, dos atletas.

O processo de dados passa por uma leve corrente elétrica (em nível seguro) pelo corpo do jogador, a fim da coleta de informações. Também conhecido como smart weight scales, o equipamento é uma tendência no esporte, e o Botafogo não quis ficar atrás em 2019, sobretudo por conta da importância da medição precisa da taxa de hidratação.

O LANCE! ouviu Manoel Coutinho, fisiologista do Alvinegro, para saber mais detalhes da importância do método de bioimpedância.

– A balança de bioimpedância consegue separar informações importantes por segmentos, com as medidas recolhidas em torno de 15 segundos. É possível vermos se a perna de um jogador está mais forte do que a outra, em relação à musculatura, por exemplo. Além disso, com os relatos da quantidade de água dentro e fora da célula, selecionamos a ação adequada no caso de um atleta estar desidratado – disse Coutinho, completando:

– O nível de hidratação está diretamente relacionado à performance em campo e o risco de lesão. As informações da balança nos dão dois retornos dos mais fundamentais para a equipe de fisiologia e nutrição.

O novo equipamento está nos interiores do Nilton Santos há cerca de duas semanas. No último dia 30, Manoel Coutinho esteve à frente de uma palestra para orientar o elenco a respeito das novas aquisições na área fisiológica.

– Através de imagens práticas, ressaltamos a importância, primeiramente, que a hidratação tem na performance e na prevenção de lesão, pois um dos problemas da hidratação é que, quando o atleta sente sede, já é um sinal de desidratação, como o carro que está na reserva. O atleta não pode sentir sede, então o que tentamos passar, junto ao Rodrigo (Vilhena), nutricionista, e ao (Felipe) Capella, preparador físico, é que eles precisam beber água naturalmente. A receptividade do elenco foi muita boa. Motiva – finalizou Coutinho.

FALA, NUTRICIONISTA!

Geralmente, a balança é utilizada 24 horas antes e depois de uma partida. Também em contato à nossa reportagem, o nutricionista do Botafogo, Rodrigo Vilhena, detalhou o processo da medição, além de frisar que “os atletas que estão desidratados aumentam o risco de lesões e apresentam queda de performance”.

– Após os jogos, os atletas recebem sua suplementação individualizada, que deve ser ingerida até a hora de sair do vestiário (retornar para casa ou retornar ao hotel). No dia posterior ao jogo, utilizamos a balança de bioimpedância que afere a quantidade de liquido intra e extracelular. Com isso sabemos se os atletas cumpriram adequadamente a ingestão de líquido. Um dia antes do jogo seguinte, os fisiologistas fazem uma nova pesagem, me passam esses dados e, com isso, na concentração, intensifico a hidratação dos atletas que ainda não estão equilibrados – comentou Vilhena.

A IMPORTÂNCIA DA HIDRATAÇÃO

– A hidratação é um fator importante que deve ser considerado antes, durante e após treinos e jogos. Os atletas devem manter um nível adequado de hidratação independentemente da estação do ano, porém, a atenção fica maior no verão devido às altas temperaturas. O processo de hidratação se inicia desde quando atleta acorda, até a hora do jogo. Seja com água e/ou suco de fruta e/ou água de coco e/ou suplemento – concluiu o nutricionista.

Quesito criticado por parte da torcida após os tropeços nas rodadas iniciais da Taça Guanabara, a parte física do Botafogo, de acordo com os especialistas do clube, está no mesmo processo padrão do ano passado – que colaborou no título carioca. O fato é que o time de Zé Ricardo tem evoluído, em todos os aspectos, com duas vitórias consecutivas. E o próximo desafio será na próxima quarta, contra o Campinense, fora, pela primeira fase da Copa do Brasil.

Fonte: Terra