O título da Taça Guanabara, conquistado em meio às adversidades econômicas e estruturais vividas pelo clube, fez renascer e ganhar força entre a diretoria e a comissão técnica do Botafogo o discurso de resgaste da autoestima e grandeza do Alvinegro no cenário do futebol brasileiro. Os jogadores ouvem o tempo todo que é preciso enfrentar os adversários com a grandeza que o clube sempre possuiu, apesar das atuais circunstâncias.

Ontem, dia seguinte à conquista desacreditada por muitos, o pensamento voltou a ser reforçado por membros influentes do clube. Para celebrar sua oitava Taça Guanabara, um almoço reuniu do presidente aos jogadores em um restaurante da Zona Sul do Rio. Forma de mostrar a união e reforçar o alerta de que apenas o primeiro passo foi dado na temporada.

— É um título importantíssimo para quem está dentro do Botafogo e vive as dificuldade diárias do clube. O Botafogo veio de um rebaixamento meses atrás e hoje sai na frente na busca de algo maior que o título Estadual. Vivemos uma tormenta eterna, com breves momentos de calmaria — discursou o presidente Carlos Eduardo Pereira.

A tempestade mencionada por ele se trata dos problemas financeiros vividos pelo clube. O título da Taça Guanabara rendeu R$ 1,2 milhão em um momento onde todas as receitas alvinegras estão bloqueadas por uma ação movida pelo ex-atacante Donizete. O problema fez com que o clube não efetuasse o pagamento dos salários de março de jogadores e funcionários.

A vantagem de dois empates contra o Fluminense não mexe com o time. Segundo o vice de futebol Antonio Carlos Mantuano, a equipe chegou a ser chamada de “indigente” antes do Estadual pelas desconhecidas contratações, e o perfil de “patinho feio” dado por outros serve como combustível para novas vitórias.

— Que pensem dessa forma. Vamos, de acordo com as nossas condições, chegar à frente de muitos que disse isso — avaliou.

— Vestir esta camisa conta muito. O Botafogo é muito grande. Temos que mostrar isso em campo — vibrou o meia Elvis, autor do gol do título sobre o Macaé.

Fonte: Extra Online