Sem recursos financeiros, o Botafogo permanece buscando alternativas para reforçar a equipe em 2020. Nesta semana, o nome de Rossi, que atuou no Vasco no ano passado, foi oferecido e agradou ao comitê de futebol, que realizou uma sondagem oficial ao jogador. As conversas, contudo, não avançaram pela pedida salarial do estafe do atleta.

O jogador, que está livre no mercado após rescindir o vínculo com o Shenzen, da China, foi visto como uma boa oportunidade de mercado pelo Botafogo, já que viria sem custos. Os representantes do atacante pediram um salário de R$ 400 mil por mês, afastando qualquer possibilidade de assinatura por parte do Glorioso, com o desejo de diminuir a folha salarial total do elenco para R$ 1,5 milhão mensais.

Rossi é cobiçado no mercado. Além do Botafogo, Fluminense, Vasco e Ceará fizeram sondagens pelo atacante na atual janela de transferências – no momento, o estafe do jogador de 26 anos está mais propício a assinar com a equipe nordestina.

Depois de sete contratações, o Botafogo está com o elenco praticamente fechado, mas o grupo responsável pela chegada de novos jogadores continua mapeando o mercado em busca de oportunidades vantajosas no sentido do custo-benefício. Rossi, de acordo com pessoas ligadas ao comitê de futebol do Alvinegro, entraria neste caso.

Na última temporada, atuando pelo Vasco, Rossi fez 41 partidas e marcou quatro gols. Apesar de certa identificação e de ter estabelecido o Cruz-Maltino como prioridade, o atacante não quer negociar com o clube de São Januário até que as questões salariais – por enquanto, o mês de novembro, 13º e férias estão em aberto – sejam resolvidas.

Fonte: Terra