Uma disputa interessante se desenha para o duelo entre Botafogo e Chapecoense, nesta segunda-feira, pela 16ª rodada do Brasileirão. O time catarinense tem a defesa mais vazada do campeonato, com 27 gols sofridos. Por outro lado, o número de gols anotados pelo Alvinegro na competição ainda é discreto: foram apenas 14, em 15 jogos e, dentre estes, só quatro foram marcados por atacantes de origem – três de Diego Souza e um de Luiz Fernando. No ranking dos ataques mais efetivos, o time carioca ocupa o 15º lugar entre os vinte clubes da Série A.

Outro dado relevante é que quase sempre quando balança as redes o Botafogo vence. Nos sete jogos em que marcou, o Glorioso venceu seis. A única exceção foi a derrota por 3 a 2 para o Flamengo, no clássico, pela 12ª rodada. Diante de uma defesa vulnerável como a da Chape o time de Barroca tem a chance de melhorar as estatísticas. Apesar da vitória sobre o Avaí, por 1 a 0, na rodada anterior, o Verdão Do Oeste foi vazado em 12 oportunidades. A vulnerabilidade defensiva, inclusive, custou o emprego do treinador Ney Franco. Com ele no comando, o time sofreu 22 dos 27 gols na competição.

Experiente, o atacante Diego Souza tem sido importante no esquema tático botafoguense, além de um líder dentro de campo. Em algumas oportunidades, o jogador de 34 foi decisivo e tem um bom índice de finalizações, com 56,5% de acertos, além de uma assistência, mas balançou a redes apenas três vezes. Luiz Fernando fez seu primeiro gol na vitória contra o Athletico-PR, na 13ª rodada e Pimpão não vive boa fase e ainda não anotou no torneio nacional. Cria da base, Lucas Campos é outro que vem ganhando oportunidades no time principal, mas também ainda não balançou as redes.

Diante deste cenário, jogadores de outras posições têm chamado a responsabilidade. O volante Alex Santana é o artilheiro da equipe no ano, com nove gols. A presença dele contra a Chape, no entanto, ainda é incerta. Desfalque nos últimos dois jogos contra o Athletico-PR e Timão, em razão de lesão na coxa, ele participou de treinamentos durante a semana mas ainda é dúvida. Outro que tem ido bem é o meia Cícero, que já fez três no Brasileirão. Barroca, no entanto, não poderá contar com o camisa 20, que cumprirá suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo.

Apesar de estar na zona de rebaixamento, com 13 pontos, na 17ª colocação, a Chapecoense tem tido um desempenho oposto no setor ofensivo. o time catarinense é perigoso e balançou as redes nos últimos três compromissos pelo Brasileirão. O time já marcou 16 gols até aqui no campeonato – dois a mais que o Botafogo . A metade deles foi feita por um jogador, destaque individual do time comandado pelo técnico Emerson Cris, que assumiu a vaga de Ney Franco: Everaldo.

O atacante de 28 anos tem oito gols e é o vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro, atrás apenas de Gabigol, do Flamengo que já fez 11. O camisa 77 do Verdão D’Oeste se destaca pelo bom posicionamento dentro da área e faro de gol.

Para parar o jogador rival, o Alvinegro deve ter a volta da dupla de zaga titular formada por Carli e Gabriel. Os dois não atuam juntos há quatro rodadas, por diferentes motivos. A última vez foi na derrota por 3 a 2 para o Flamengo, dia 28 de julho. O argentino se recuperou de lesão e deve ser escalado. A equipe vive a expectativa de ter de volta os homens de confiança na proteção à meta alvinegra para recuperar a regularidade mostrada antes da pausa para a Copa América. Neste intervalo, Cícero e Marcelo Benevenuto supriram as lacunas na posição.

O técnico Eduardo Barroca, no entanto, preferiu a cautela e não divulgou os relacionados, como costuma fazer. Em entrevista, na última sexta-feira, avisou que quer promover uma competição saudável dentro do elenco.

– Tenho que deixar a competição entre os jogadores mais viva. Se confirmo a escalação, bloqueio um dos pontos da minha escolha – explicou o treinador.

Botafogo e Chapecoense entram em campo no Nilton Santos, nesta segunda-feira, às 20h (de Brasília). No histórico do confronto, o Alvinegro leva a melhor. Em oito encontros, foram cinco vitórias do time carioca e três, do catarinense.

Fonte: Terra