Às vezes a distância, em doses razoáveis, é saudável para uma paixão. Quem vê pouco aquilo que ama dá mais valor a esses poucos encontros. É o caso da Sampafogo, um grupo de centenas de botafoguenses de São Paulo que se reúnem desde o ano passado para assistir aos jogos do Alvinegro. O comportamento dos botafoguenses paulistas hoje, quando o Botafogo enfrentará o São Paulo, às 17h, no Pacaembu, será um retrato importante da relação da torcida com o clube, que ainda um tanto quanto desgastada. Após três derrotas seguidas em casa, inclusive para o lanterna, parte dos botafoguenses perderam a paciência e protestaram.

Por essa ótica, o fato de jogar fora de casa pode até ser benéfico para a equipe, pois, ao menos antes da partida, a torcida não deve ser hostil com os jogadores.

— Acho que teremos um misto de emoções neste domingo. Afinal, independentemente do momento, é o clube que amamos e que fomos “escolhidos” por ele. Apoio nunca vai faltar — afirmou o jornalista Carlos Henrique Dias, paulista e fundador da Sampafogo.

Além disso, ao enfrentar o São Paulo nos domínios do rival, o Alvinegro deve pegar um adversário mais propenso a atacar — e o Botafogo se sente mais confortável enfrentando times assim.

— Esperamos que o time jogue bem e reaja imediatamente — disse Carlos.

Foi num jogo do Alvinegro contra o Vitória, no dia dos namorados do ano passado, que Carlos pediu a noiva, Stefani, em casamento.

— Quem sabe, em breve, nos casamos com o tema alvinegro. Afinal, agora ela também é botafoguense — afirmou ele, que “converteu” a noiva.

Antes da mudança radical, ela torcia para o adversário de hoje, o São Paulo.

Rival desfalcado

A vitória hoje é importante para o Botafogo seguir na zona de Libertadores — algo exigido por torcedores que se manifestaram sexta-feira no Nilton Santos — e não depender de tropeços dos rivais.

Para o compromisso de logo mais, o Alvinegro não tem desfalques, mas Jair Ventura levará duas dúvidas para o vestiário ainda tem dúvidas são entre Victor Luis, que se recupera de entorse no tornozelo direito, e Gilson; e, no ataque, entre Rodrigo Pimpão e Guilherme — nesse caso, a opção de Jair será apenas com bases técnicas, pois nenhum dos dois tem lesões. Na rodada passada, Guilherme começou e Pimpão ficou na reserva.

Já o São Paulo joga sem Hernanes, seu principal jogador e um dos responsáveis pela recuperação da equipe, além de Arbeloa. Os dois estão suspensos por levarem o terceiro amarelo.

Fonte: Extra Online