A depender exclusivamente do números dos ataques de Botafogo e Santa Cruz, a partida entre os times, marcada para sábado, no Rio de Janeiro, tende a ter muitos gols. Nenhum dos outros participantes da Série B conseguiu colocar a bola para dentro mais do que o Alvinegro. Empatados com o América-MG, os corais estão em segundo neste ranking. Em partida que pode valer a sacramentação do título para o clube carioca ou um grande passo para acesso do Tricolor, as equipes apostam nos seus sistemas ofensivos.

Nas três últimas rodadas, quando o Santa engatou a sequência de vitórias que o alçou e o manteve no G4 da competição, os comandados do técnico Marcelo Martelotte vazaram os adversário sete vezes. Alta média de 2,3 gol por jogo. Dados, porém, que não significam necessariamente que o time tricolor vá fazê-los facilmente diante do Botafogo. Isso porque o Alvinegro tem também a melhor defesa da Segundona – com 26 tentos sofridos em 35 rodadas (média de 0,7 por partida)

Cientes das suas próprias qualidades, os corais alertam em relação ao poderio ofensivo do adversário. Lateral esquerdo e incumbido também de frear as investidas do ataque carioca, Allan Vieira avisa que o Santa precisa se manter atento em cada minuto da partida. “Vai ser um jogo de detalhe. Temos que entrar mais ligados do que nunca. É mais uma final para a gente e temos que entrar concentrados para parar este ataque deles.”

Embora o Botafogo tenha já se garantido na Primeira Divisão de 2016, o meia João Paulo crê que os alvinegros não vão se furtar em partir para cima do Tricolor desde o início do jogo no Engenhão. “Acredito que vai ser um Botafogo que joga para vencer. Acredito que o grupo e a torcida deles não estão satisfeitos apenas com o acesso”, falou o atleta.

Os ataques de Santa Cruz e Botafogo

Botafogo

35
Jogos

58
Gols feitos

1,6
É a média por jogo

Santa Cruz

35
Jogos

54
Gols feitos

1,5
É a média por jogo

Fonte: Superesportes