Início de temporada, dois jogos e dois empates do Botafogo. Para o atacante Brenner, isso tem explicação: a adaptação do Alvinegro ao esquema do novo treinador, Felipe Conceição.

– Eu acho que o estilo dele é moderno. A gente ainda está se adaptando ao estilo dele, buscando entender algumas coisas no trabalho dele. Esse processo de assimilação não é rápido. Esperamos pegar rápido para bola chegar com mais clareza para a gente finalizar mais – comentou o camisa 9, já projetando o duelo contra o Alvianil, na quinta-feira, às 19h30, no Moacyrzão, pela terceira rodada da Taça Guanabara. O Botafogo está em terceiro no seu grupo, o C, com dois pontos.

– Temos que vencer o Macaé na quinta-feira para termos um pouco mais de tranquilidade. Pela grandeza do Botafogo, não podemos deixar o time fora das semifinais da Taça Guanabara – completou.

O camisa 9 do Botafogo, que no momento só tem a concorrência de Pachu para ser a referência no ataque, projetou um ano de gols, claro, e melhor que o anterior, quando fez 19 entre Inter e Bota. Apesar disso, não quis traçar uma meta de gols em 2018.

– Quero é melhorar ano a ano. Não traço metas, não. Pelo novo estilo de jogo, com triangulações e mais posse de bola, creio que será mais fácil para que a gente ali da frente faça gols – finalizou.

Fonte: Terra