Desde o início da ascensão do Botafogo, o discurso do técnico Jair Ventura e do elenco sempre foi dos mais ponderados. Mesmo com a ascensão na tabela rodada após rodada, no clube a meta continuava sendo “lutar contra o rebaixamento”. Mas a quatro rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro e com o time alvinegro a cinco pontos do sétimo colocado, a vaga na Libertadores já se tornou “realidade”.

“Estamos muito motivados e confiantes. A Libertadores deixou de ser sonho e virou realidade. Estamos muito próximos. Não temos que ter vergonha em admitir isso. Temos que conquistar logo essa vaga. É o sonho de muitos disputar essa competição. Se vencermos a Chapecoense, daremos um passo muito grande”, admitiu o volante Bruno Silva.

TABELA
O Botafogo é o quinto colocado da tabela, com 55 pontos, enquanto o Corinthians, primeiro time fora da zona de classificação para a Libertadores, tem 50. Uma vitória sobre a Chapecoense na quarta-feira da semana que vem deixa o clube ainda mais perto do torneio continental. Trata-se de uma reviravolta para quem era considerado um dos principais candidatos ao rebaixamento após um péssimo início de competição.

“Nós somos humanos. Lógico que as críticas mexem com a gente. Mas foi mais a cobrança individual. Ninguém gosta de perder. Nos unimos e nos cobramos. Eu não queria perder. A nossa conversa ajudou nessa reviravolta. Não deixamos cair depois que entramos na zona de conforto. Apesar de jovem, nossa equipe sabe segurar a responsabilidade”, explicou o volante.

DESCANSO RUIM
Bruno Silva só lamentou os 10 dias sem partidas por conta da data Fifa. “Nesse momento, essa parada prejudica um pouco. Estamos numa sequência boa. Mas temos que focar no nosso objetivo. Sabemos que será um jogo difícil contra a Chapecoense. Eu e Camilo jogamos lá. É uma equipe chata de se enfrentar. Mas temos que buscar o nossos objetivo e buscar essa vaga na Libertadores o mais rápido o possível.”

Fonte: Futebol Interior