Foi com a camisa da Chapecoense que o meia Camilo chamou a atenção de seu atual clube, o Botafogo. Nesta terça-feira, o armador lembrou com carinho de sua passagem pela Arena Condá e lamentou a tragédia que matou quase integralmente a delegação alviverde.

Camilo ficou sabendo do acidente aéreo a caminho de General Severiano, onde o Botafogo treinaria nesta manhã. Mas comunicou ao clube que não tinha condição de participar da atividade, posteriormente cancelada.

— Fiquei em choque, sem saber o que fazer. Devo muito à Chapecoense, e a dor neste momento é a pior do mundo. Você fica sem saber o que vai acontecer daqui pra frente — diz o meia, que marcou o primeiro gol internacional do clube, no ano passado, contra o Libertad, do Paraguai.

Camilo mantém contato com boa parte dos jogadores através de um grupo criado em um aplicativo de troca de mensagens. Falar do atacante Bruno Rangel levou o meia alvinegro às lágrimas:

— Ele era o mais chegado meu. Minha vontade é estar com a mulher dele e seus dois filhos. Dar um abraço neles, que é o que vou ter condições de fazer.

Camilo defendeu a Chapecoense entre 2014 e 2015. No fim do ano, foi vendido para o Al Shabab, da Arábia Saudita. Antes de assinar com o Botafogo, ele chegou a acertar um retorno para o clube catarinense, do qual guardará enorme carinho.

Fonte: Extra Online