A dois jogos do fim da Taça Rio, Zé Ricardo corre o risco de ser o técnico a levar o Botafogo à pior colocação no Campeonato Estadual desde 2014 — ano em que o time terminou na mesma nona colocação atual, sendo que havia 16 clubes na disputa, contra os 12 de agora. O desempenho reflete uma gradativa queda de aproveitamento das equipes comandadas pelo treinador em sua curta carreira.

O começo como profissional, no Flamengo, veio com um título estadual em 2017 e 62,2% dos pontos conquistados. Foi por conta disso que, apesar de demitido, deixou boa impressão. Em seguida, no Vasco, classificou o time para a Libertadores, mas não resistiu às turbulências políticas e financeiras de São Januário: quando pediu demissão, tinha 52,7% dos pontos conquistados.

Na equipe de General Severiano, o número caiu um pouco mais: é atualmente de 51,3% dos pontos conquistados, o que ajuda a entender a campanha ruim no Carioca, teoricamente o compromisso mais fácil do Botafogo no primeiro semestre. Amanhã, poderá entrar em campo contra a Portuguesa, no Nilton Santos, já sem chances de classificação para a semifinal da Taça Rio e, consequentemente, fora do Estadual.

Neste jogo, Zé Ricardo não poderá contar com um dos principais jogadores do time , o goleiro Gatito Fernández, que está com a seleção do Paraguai. Diego Cavalieri será o titular.

— Entro numa situação boa, que é por convocação do Gatito. Estou preparado — afirmou o camisa 12.

Fonte: Extra Online