De um lado, a torcida do Botafogo. Do outro, a do Fluminense. Mas desta vez não foi uma bola de futebol quem guiou as emoções das arquibancadas, mas sim uma vida que já nasceu predestinada. Em um “Clássico Vovô” bem diferente, o tricolor Nikolas Bessa e a alvinegra Gabriela Alvim realizaram um chá de revelação para relevar o sexo — e projetar o time — da pequena Bella. E o vídeo viralizou nas redes sociais.

— Nós namoramos há quase nove anos. Essa ideia veio desde que a gente começou a se relacionar, era uma forma de evitar uma guerra no relacionamento e também entre famílias e amigos. Foi tudo perfeito, nós tínhamos até medo de rolar alguma confusão, mas foi maravilhoso que todo mundo respeitou o time dos outro — contou o pai.

Nikolas tem 28 anos e atua como assessor de imprensa na secretaria do Meio Ambiente. Já Gabriela, ou Bibi como é apelidada, tem 27 e trabalha em uma creche. Eles descobriram a gravidez com um susto: após muito enjoos, um teste mostrou que Bella já tinha quatro meses. Foi o momento perfeito para o casal colocar o sonho em prática.

O “clássico” aconteceu no último domingo, na Gávea, Zona Sul do Rio de Janeiro, e cerca de 200 pessoas, entre amigos e familiares, estiveram presentes. Se fosse menino, se chamaria Lucca e o pai Nikolas teria carta branca para transformá-lo em tricolor. Se fosse menina, o nome seria Bella e a mãe Gabriela estaria livre para iniciá-la como botafoguense. Com o último balão estourado, vitória para os lados de General Severiano.

— Minha felicidade, não consigo explicar. Foi o melhor momento até agora. Tirar aquele balão e ser uma menina, estava nervosíssima e ansiosa. Saber que vou ter uma filha e levar para os estádios, dividir todos os momentos, não tem explicação. Eu imaginava a cena de eu e meu pai entrando no estádio com a Bella. Foi um título para mim, a melhor vitória do Botafogo que já presenciei — conta Bibi, que também explica o motivo do nome ser Bella:

— Eu gosto de nomes pequenos e que sejam apelidos. É um nome italiano, com duas consoantes. Vai ser Bella, não Isabella.

No fim, tanto tricolores quanto botafoguenses cantaram músicas com o nome da filha do casal. Menina ou menino, a certeza é que esta estrela jamais estará solitária.

Fonte: Extra Online