Colunista do jornal Extra, Gilmar Ferreira utilizou o Twitter para fazer críticas ao presidente Carlos Eduardo Pereira, após as saídas pela Justiça de duas promessas oriundas das categorias de base do Botafogo: o volante Gabriel e o meia Daniel. Segundo o jornalista, a falta de um gestor profissional foi determinante para a decisão dos atletas, que deve ser seguida por outros jogadores.

“Começa mal a administração de Carlos Eduardo na presidência do Botafogo. Lento nos passos, ineficiente nos atos e questionável nas escolhas. Eleito antes de ver consumada a queda para a Série B, o presidente deveria ter chegado com um executivo a tiracolo, com alvos bem definidos. Perder na Justiça Trabalhista dois jogadores jovens e talentosos é prova da falta não só de dinheiro, mas de um gestor conhecedor do mercado. A aposta óbvia e coerente seria o retorno de Anderson Barros. O responsável pela montagem dos times entre 2009 e 2012 acertou com o Vitória”, postou.

Defensor da fórmula de rebaixamento por média de pontos em três temporadas, como acontece na Argentina com os chamados “promedios”, Gilmar Ferreira lamentou que a queda para a Série B tenha tido tanto peso na situação caótica do Botafogo.

“De qualquer forma, tudo o que se vê é fruto da fórmula ultrapassada e covarde de se rebaixar um clube por conta de um ano de asfixia financeira… Injusto diminuir um clube que nos últimos quatro anos esteve sempre entre os dez primeiros do Campeonato Brasileiro”, completou.

Fonte: Redação FogãoNET