Se aefesa do Botafogo não pode ser considerada uma das mais confiáveis do país, com cinco gols sofridos nos últimos cinco jogos após a paralisação para a Copa, ainda pior é o ataque. No mesmo número de partidas, o time marcou apenas dois gols, nenhum de atacantes. Depois de torcedores ilustres acertarem com jogadores o pagamentos de dívidas e salários até o fim do ano, chegou a hora do acerto no setor ofensivo.

Vágner Mancini sabe disso, mas não são poucos os problemas. Se não bastasse Emerson Sheik ter recebido o terceiro amarelo e estar suspenso contra o Fluminense, domingo, em Brasília — sua segunda punição por cartões em nove jogos —, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) suspendeu o atacante nesta sexta por três jogos pelo carrinho que deixou marcas no volante Henrique, do Cruzeiro, há duas semanas.

Treinos específicos

Mesmo com Sheik em campo, as coisas não evoluíam bem. Um dos sinais são as constantes voltas do atacante para buscar a bola.

— Nós temos chegado à área adversária com poucos atletas. Fiz alguns trabalhos específicos e falei com eles para termos mais jogadores por lá — explicou Mancini. — Mas não é só ir à área. Tem que ir com chances de finalização e, às vezes, acho que o Emerson fica um pouco isolado. Muitas vezes algumas duplas não combinam, embora os dois jogadores estejam bem. Vamos ter que mexer mais as peças para achar o time ideal.

A primeira peça mexida foi Daniel. O jogador, que vinha atuando como reserva, treinou nos últimos dois dias como titular. O jovem de 20 anos marcou três gols na goleada por 6 a 0 sobre o Criciúma, um jogo que foi um ponto fora da curva na temporada alvinegra.

Rogério e Tanque Ferreyra disputam a segunda vaga no ataque. O primeiro treinou apenas parte da atividade desta sexta como titular e deve ser barrado. Após cinco jogos fora, Tanque deverá ter a chance de retornar. Zeballos, que atuou como atacante, deverá ser escalado no meio-campo, já que Edílson voltará à lateral direita com a ausência de Lucas, que, resfriado, não treina desde quinta-feira e não jogará.

— O Tanque me dá uma opção no jogo aéreo e em bolas mais esticadas. Embora não tenha técnica refinada, ele é lutador e guerreiro. Pode servir como pivô. Teve altos e baixos no ano, mas vem sempre brigando por espaço — disse Mancini, que fechou a primeira parte do treino de ontem.

Atacante é contratado

Nas constantes mudanças, quem está sem espaço no momento é Wallyson. Já Yuri Mamute está com a seleção sub-20, que disputa o Torneio de Valencia, na Espanha. De olho em novas opções, o Botafogo foi ao mercado apesar de viver grave crise financeira. Com ajuda de investidores, o clube acertou nesta sexta a contratação do atacante Bruno Correa, de 28 anos, que estava no Al-Nasr, dos Emirados Árabes. Ele vem ao Rio emprestado pelo Colorado, do Paraná, um time de empresários.

— É um atleta alto, de área, que pode nos dar velocidade, enquanto o Ferreyra faz isso de forma mais centralizada. O Bruno tem boa capacidade de movimentação. É um jogador diferente do que temos no elenco — afirmou o técnico.

Quem pode estar perto de voltar é Jóbson. Segundo o jornal “Extra”, ele será reintegrado após tentativa fracassada do clube em emprestá-lo.

Fonte: O Globo Online