Jair Ventura pisou no gramado do Morumbi no dia 14 de agosto de 2016. Pela primeira vez, ele recebia a oportunidade de ser o treinador de uma grande equipe. A estreia foi com vitória, com gol de Sassá aos 47min do segundo tempo. Passaram-se 14 meses desde então e muita coisa mudou. O Alvinegro fugiu do rebaixamento, se classificou e fez bonito na Libertadores. O reencontro como visitante contra o São Paulo acontece neste domingo, às 17h, porém, ocorre no seu pior momento no clube de General Severiano.

Após ser eliminado da Libertadores para o Grêmio, o Botafogo seguiu firme no Campeonato Brasileiro, lutando por uma vaga na próxima competição internacional. Porém, a equipe oscilou nos últimos jogos e apresenta nítida queda de rendimento. Prova disso é que perdeu as últimas três partidas em casa.

O “caldo entornou” mesmo após a derrota para o lanterna Atlético-GO. Durante a partida, Bruno Silva, que tem acordo para defender o Cruzeiro, mesmo com contrato com o Botafogo até o fim de 2018, foi vaiado pela torcida e fez gesto de que estava de saída ao ser substituído.

O volante pediu desculpas, mas o gestou causou uma grande confusão no Botafogo. Na última sexta-feira, torcedores protestaram contra a fase do time e, claro, a atitude de Bruno Silva. No sábado, a situação foi mais grave. Cerca de 30 membros de uma organizada invadiram o Nilton Santos (Engenhão) e chegaram até o gramado. Os atletas, porém, estavam nos vestiários e não houve encontro.

Os botafoguenses ainda apostam suas fichas no trabalho de Jair Ventura. Um dos responsáveis pelos bons momentos vividos pelos torcedores nos últimos meses, Jair Ventura quer fazer história e fazer o Botafogo jogar a Libertadores duas vezes seguidas, o que jamais ocorreu.

“Decepcionamos nossa torcida e dói muito quando você vê a torcida vaiando, decepcionada e demonstrando uma insatisfação grande. Mas também vem nossa responsabilidade. Estamos na reta final, com chances concretas de alcançar um grande objetivo, e essa é nossa prioridade”, disse o presidente Carlos Eduardo Pereira em coletiva na última sexta.

E essa chance de jogar novamente a Libertadores tem mexido com os torcedores. Até porque Botafogo disputa com Flamengo e Vasco duas vagas que garantem classificação para disputar a competição internacional em 2018. Para o presidente, isso amplia ainda mais a pressão.

“Sabemos que nossa equipe tem rendimento melhor contra equipes mais fortes, e é isso que esperamos nessas últimas partidas. Tem muito com a rivalidade. Agrupa os times do Rio. Isso estimula a rivalidade regional. Quando você faz uma experiência positiva fica com vontade de repetir”, acrescentou.

Fonte: UOL