Após um início de temporada conturbado, o Botafogo começa a se recuperar e apresentar evolução no futebol. Nos primeiros quatro jogos do ano foram três derrotas e um empate. Nos últimos cinco, quatro vitórias e um empate.

Com um calendário cheio de competições no primeiro trimestre do ano (Campeonato Carioca, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana), Zé Ricardo precisa encontrar alternativas para não desgastar fisicamente os jogadores.

Uma solução para isso tem sido a utilização de jogadores da base. Até o momento, Zé Ricardo já utilizou 26 atletas, sendo oito deles vindo de General Severiano.

No clássico com o Vasco, no último sábado, Zé Ricardo utilizou cinco. Alguns já conhecidos dos torcedores, como Marcinho, Marcelo Benevenuto e Gustavo Bochecha. Outros estão buscando espaço no time principal. É o caso de Rickson e Wenderson.

Os outros jogadores da base utilizados por Zé Ricardo até aqui são: Lucas Barros, Helerson e Jonathan. De todos eles, três merecem destaque.

O zagueiro Marcelo Benevenuto já vinha sendo aproveitado no time principal desde 2016. Em 2017, fez boas partidas com a camisa do Botafogo, principalmente na Libertadores, quando a equipe chegou nas quartas-de-final. Após começar o ano no banco de reservas, Marcelo assumiu a difícil missão de substituir o capitão Joel Carli, que passou por uma cirurgia no joelho direito. Ele vem correspondendo muito bem defensivamente, formando uma dupla segura com Gabriel, e ainda anotou o gol de empate contra o Vasco.

A lateral esquerda é uma posição que causa preocupação no torcedor. Gilson seria o titular, mas é um nome que enfrenta muitas críticas. Aos 20 anos, o garoto Jonathan assumiu a responsabilidade e tem feito boas atuações. Seguro defensivamente, também é importante na parte ofensiva. Já marcou um gol na temporada.

Outro nome que atrai os olhares do torcedor botafoguense é Gustavo Bochecha. O meia já é conhecido e integra o time profissional desde 2017. Mas naquele ano, em seu jogo de estreia, sofreu um rompimento do ligamento cruzado do joelho direito e não voltou mais ao grupo principal. Em 2018, atuou em 19 partidas, mas sem tanto destaque. Na temporada atual, entrou em três partidas até aqui. Com bom passe e grande capacidade de organizar o jogo, vem se mostrando uma excelente opção.

Com recursos financeiros limitados, Zé Ricardo está achando boas soluções nas divisões de base. E novos nomes devem surgir ao longo da temporada.

Fonte: Terra