Da apresentação como novo técnico do Botafogo até a estreia contra o Náutico pela Copa do Brasil, Paulo Autuori teve apenas seis dias de trabalho com o elenco. Com a classificação garantida em Recife, o comandante alvinegro teve um pouco mais de tranquilidade para preparar o elenco para a estreia na Taça Rio, contra o Boavista, neste domingo, às 19h. Na partida no Nilton Santos,o treinador tem mais uma chance de avançar na construção de uma identidade para a equipe, que ainda mantém traços do estilo de jogo do ex-treinador Alberto Valentim.

– Seria muita pretensão da minha pessoa eu falar que os jogadores conseguiram pegar de forma sólida os conceitos e dar continuidade ao trabalho de Valentim. Toda hora existem quebras de processo e isso atrapalha. Peguei o que estava dando certo e dei continuidade. O tempo não ajuda muito. Vamos tentar apresentar algumas coisas – afirmou Autuori em coletiva na última sexta-feira.

Desde que chegou ao clube, o treinador tem feito críticas ao calendário do futebol brasileiro, que não permite muito tempo para que filosofias de jogo sejam implementadas entre o curto espaço de tempo entre uma partida de outra. O foco do treinador nas primeiras semanas tem sido mais no fator psicológico. Nas conversas com os jogadores, tem buscado fortalecer a confiança e gerar uma mentalidade vencedora.

-Na parte emocional, alguns jogadores sentem mais que os ouros. O que eu falo é para os jogadores é terem coragem, tomarem riscos. O Botafogo tem uma história extraordinária e todos passam por momentos difíceis. É hora de acabar com isso. Temos que parar de falar das coisas pequenas – explicou.

Foco na defesa

O pouco tempo de trabalho não vai permitir ainda ao técnico mudanças profundas na equipe. O atual treinador não tem um estilo totalmente diferente do antecessor. Os dois têm o perfil de buscar o diálogo com os atletas. Velho conhecido da torcida, em especial pela memória do título brasileiro de 1995, o técnico de 63 anos precisa apagar a desconfiança em razão dos trabalhos mais recentes, que não foram tão bem sucedidos.

A falta de criatividade tem sido um dos alvos mais frequentes das críticas ao Glorioso e vão obrigar Autuori a fazer mudanças. Uma das apostas deve ser vista já neste domingo, com a estreia do equatoriano Gabriel Cortez como titular no ataque alvinegro. O objetivo é dar mais qualidade às finalizações, diante de um rival que deve jogar muito fechado e deve oferecer poucas chances.

As falhas no sistema defensivo são outro alvo da irritação dos torcedores botafoguenses. Autuori gostou da estreia do zagueiro Ruan Renato diante do Náutico e deve voltar a utilizá-lo no lugar de Carli. Nos treinamentos durante a semana o treinador também deu prioridade às atividades que visavam reforçar o setor.

Botafogo e Boa Vista integram o Grupo A ao lado de Flamengo, Bangu, Portuguesa e Cabofriense. Classificam-se para as semifinais os dois melhores colocados.

Fonte: UOL