A vida é pra quem sabe viver, procure aprender a arte, pra quando apanhar não se abater, ganhar e perder faz parte. A música Clareou, de Xande de Pilares, embalou a campanha do time sub-20 do Botafogo, campeão brasileiro da categoria na última terça-feira (20), em cima do Corinthians. O regente desse grupo é Renan Gorne, artilheiro na temporada com 26 gols. Em entrevista ao Esporte Interativo, o jogador deu uma de cantor, mas logo viu que essa não é a praia dele.

“Clareeeouuu (cantando). Essa não é a minha. Sou melhor no campo (risos)”.

Com apenas 20 anos, o atacante é um dos cotados a fazer parte do elenco profissional do Botafogo na próxima temporada. Renan Gorne não se ilude com a boa fase, prega cautela em relação à carreira, mas se diz pronto para a oportunidade na categoria de cima.

“Me vejo pronto sim. Venho um fazendo um ano diferente. Espero que quando eu tiver a oportunidade no profissional eu esteja preparado. Mas preciso ir com calma, sem pular etapas. Na hora certa, o meu momento vai chegar”.

Confira abaixo a entrevista completa:

Já teve algum contato com Jair Ventura, técnico dos profissionais?

Tive contato com ele quando treinei com ele. Fui relacionado para um jogo na Copa do Brasil e um no Brasileiro. Não tive a oportunidade de conversar apenas com ele. Mas eu pude perceber que ele tem muita noção de futebol e, inclusive, de Botafogo. Conhece todos os jogadores.

Se espelha em algum jogador do profissional?

Quero seguir os exemplos de Sassá e Luis Henrique. Eles tiveram a oportunidade e souberam aproveitar. Espero fazer o mesmo. Quero seguir o mesmo caminho. Eles tiveram na mesma situação que eu estou agora. inQuero trilhar o mesmo caminho.

Acompanha o futebol Internacional?

Acompanho, sim. Gosto do Liverpool, da Inglaterra. Como jogador, me inspiro no Suarez e no Lewandowski. São atacantes que admiro bastante. Se eu fizer um pouco do que eles fazem, já estou feliz (risos).

Como você comemorou o título de campeão brasileiro?

Fiquei em casa, curtindo a minha família. Sempre estiveram do meu lado. Fizemos uma janta e comemoramos todos juntos, todos felizes.

E o cardápio foi especial?

Não…foi um arroz, feijão e bife mesmo (risos). Simples e muito bom.

Um sonho?

Eu tenho o sonho de vestir a camisa da seleção brasileira. Queria muito atuar pela Seleção, mas ainda como jogador do Botafogo.

Dedica o título a alguém em especial?

Gostaria dedicar ao meu pai e minha mãe. São pessoas que sempre me apoiaram. Quando eu estava para baixo e desacreditado, eles me ajudaram a dar a volta por cima.

Fonte: Esporte Interativo