A contratação de Keisuke Honda pelo Botafogo tomou conta dos noticiários. O clube havia vivido algo semelhante ao trazer o também ídolo internacional Clarence Seedorf, em 2012. Os holofotes se viraram para o Alvinegro, que agora se prepara para receber o que é considerado por muitos o maior jogador asiático de todos os tempos. A torcida está completamente alucinada com o reforço e até mesmo os rivais não conseguem esconder a ansiedade para ver como serão os próximos capítulos.

Algumas curiosidades marcam a chegada de Honda ao Botafogo. O japonês terá um contrato nos moldes de Ronaldo Fenômeno, no Corinthians. Além disso, a torcida prepara uma grande festa na próxima semana para receber o jogador no aeroporto. Por fim, o apoiador pediu e ficará com a camisa 4, a mesma que usou nas duas últimas Copas do Mundo.

O UOL Esporte separou tudo o que você precisa saber sobre a chegada de Honda ao Botafogo.

Contrato fenomenal

Em 2009, o Corinthians surpreendeu o Brasil ao aplicar um balão no Flamengo e fechar com Ronaldo. O centroavante tinha salário de R$ 400 mil e ainda ficava com 80% de novos patrocinadores que foram fechados após sua chegada. Onze anos depois, o Botafogo repete a estratégia com Honda. O japonês terá um salário fixo (R$ 150 mil) e ficará com tudo o que tiver seu nome envolvido em ações.

Além da parte comercial, existem outros gatilhos referentes a parte esportiva. Mesmo assim, caso Honda alcance essas metas, o salário seguiria dentro da realidade do Botafogo. O clube espera aproveitar o momento de hype para fechar novas parcerias e passar uma mensagem de força para o mercado, o que poderia ajudar até mesmo no projeto de se transformar empresa, segundo dizem alguns cartolas nos bastidores.

#AeroHonda

Após assinar o contrato até o fim do ano, Honda estava disposto a viajar para o Rio de Janeiro o quanto antes. O Botafogo, porém, prepara uma grande festa para o japonês e conta com a torcida para comparecer em massa para receber o atleta. A expetativa é que o apoiador chegue ao Rio de Janeiro no fim da próxima semana: sexta ou sábado.

Uma hashtag foi criada com “AeroHonda” e ficou entre os assuntos mais comentados do país. A empolgação é muito grande e deverá haver uma grande festa, assim como ocorreu com Seedorf há alguns anos.

Camisa 4

Havia uma dúvida de qual camisa Honda vestiria. Em princípio, a diretoria trabalhava com três opções. A primeira delas é a 4, que foi utilizada por Honda nas duas últimas edições da Copa do Mundo. E foi justamente a escolhida pelo japonês. O número era utilizado pelos laterais direito, já que o Botafogo não se valia da numeração fixa. As outras opções eram os 7 e 10.

Com a chegada de Honda, o 4 ficará exclusivo para o japonês. Ciente da procura, o Botafogo já encomendou com a Kappa várias camisas com o número. Hoje em dia, o símbolo numérico é colocado no momento da compra. Portanto, o que foi solicitado é o adesivo para ser estampado no uniforme.

Clássico de camarote

No dia 9, o Botafogo encara o Fluminense, no Maracanã. A expectativa da diretoria é que o jogador vá ao clássico e fique com a diretoria em um camarote no estádio. O objetivo é fazer novo contato do japonês com a torcida, dessa vez em massa nas arquibancadas — os ingressos no Carioca são 50% para cada clube.

O assunto já foi abordado com o jogador que deu sinal verde. Contando que não haja nenhum contratempo, a presença de Honda no clássico é vista como certa por membros da diretoria. Inclusive, o Botafogo convida para que a torcida compareça em grande número diante do Fluminense.

Sonho olímpico

Há alguns anos, Keisuke Honda tem se notabilizado por escolher destinos pouco tradicionais para um jogador de futebol japonês. Passou por México e Austrália, após deixar o Milan, em 2017. Nesta temporada, ele tem um objetivo claro: jogar as Olimpíadas em sua terra natal.

A pesar de toda sua fama, o assunto não tem sido tratado com algo tão importante. Tanto que Honda desabafou em suas redes sociais por ser tratado como piada por algumas pessoas. O desejo do japonês é cristalino e ele espera que o Botafogo possa ajudá-lo a conseguir isso.

Clausula após Olimpíada

O contrato com Honda tem algumas cláusulas. Uma delas chama atenção e até deixa o torcedor do Botafogo com receio. É que tanto japonês como o clube podem decidir romper a parceria caso um dos lados ache o melhor caminho.

Para que isso ocorra, basta que Botafogo ou Honda não estejam satisfeitos com a ‘sociedade’. Porém, isso só poderia ocorrer após a Olimpíada, que começará a ser disputada em julho. Portanto, ainda teria um bom período para que as partes cheguem a essa conclusão, que hoje parece um tanto quanto improvável.

Repercussão internacional

Honda é muito mais que um retorno técnico e todo mundo sabe. Mesmo ainda tendo muita bola para gastar, fica claro que as possibilidades foram de campo também pesaram para sua contratação. Prova disso ocorreu ontem (31), quando os maiores veículos do mundo noticiaram o acerto e divulgaram o nome do Botafogo.

A expectativa é que os treinos do Alvinegro sejam uma atração para mídia internacional, assim como ocorreu no período em que Seedorf defendeu as cores da Botafogo.

Fonte: UOL