O Coronavírus trouxe diversas mudanças no calendário do futebol brasileiro e no dia a dia dos jogadores. Um dos principais afetados, neste contexto, foi Keisuke Honda, do Botafogo. O japonês, recém-chegado ao Rio de Janeiro, contava com a chegada da família ao território tupiniquim no final do mês passado – ou, no mais tardar, no começo desse mês -, mas o COVID-19 atrasou os planos.

A família do japonês, vale ressaltar, está bem. Nenhum dos parentes do atleta do Botafogo está com sintomas do novo coronavírus, mas a pandemia atrasou os planos do jogador em encontrar os entes, já que todos chegaram concordam que a melhor ideia, no momento, não era fazer nenhum tipo de mudança grande e permanecer no Japão até que tudo melhore.

Honda está tranquilo em relação a isso. O meio-campista entendeu que o momento vivido pelo mundo não é comum e que a melhor opção, por ora, é ficar longe da família. Os parentes também compreenderam a razão e vão postergar a vinda ao Brasil.

Quando foi contratado pelo Glorioso, Honda viveu em um hotel durante algumas semanas, já que ainda não tinha um lugar certo para viver. A diretoria do Alvinegro e os representantes avançaram nesta questão e o japonês, agora, já tem uma moradia fixa – está em um codomínio na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

A companhia diária de Honda é… Keisuke. Não estranhe. O xará é o responsável por produzir os conteúdos das redes sociais do meio-campista. Mesmo com a quarentena, o japonês continua fazendo vídeos para o seu canal do YouTube, que recentemente bateu a marca de 187 mil inscritos.

Enquanto passa parte dos dias mantendo a forma física ou ajudando o xará Keisuke nos conteúdos para as mídias sociais, o jogador do Botafogo fica tranquilo em relação à situação dos familiares na Terra do Sol Nascente.

Fonte: Terra