O botafoguense viveu um dia inesquecível nesta quinta-feira. A vitória fora de casa na Libertadores, os anúncios de duas das tão esperadas contratações e até o avanço inesperado no sonho de um CT próprio agitaram a vida dos milhares que estiveram no Uruguai e dos milhões que ficaram torcendo daqui do Brasil.

O Alvinegro voltou às oitavas de final da Copa Libertadores após 21 anos. A espera foi compensada com muita luta, raça, vontade, obediência tática e mais uma vitória sofrida – que já virou a marca desse time guerreiro e obstinado por conquistas. O belo gol de João Paulo colocou o Glorioso em ótima posição no mata-mata, precisando apenas empatar em casa pra avançar de fase.

Mas as alegrias começaram bem mais cedo: pela parte da manhã, o clube confirmou que aguarda o meia-atacante Andrés Ríos para exames e assinatura de contrato na próxima segunda-feira, em General Seveirano. Já na parte da noite, o aparente fim da novela Leo Valencia; o meia, que disputou a Copa das Confederações pelo Chile e vinha sendo disputado com o Vasco, também é aguardado para fechar a negociação no Rio de Janeiro nos próximos dias.

Getty Images

Getty Images
Botafogo venceu mais uma grande batalha na Libertadores

Entre os anúncios dos tão esperados, uma excelente notícia – que deveria ter tido bem mais repercussão – foi divulgada: o Botafogo deu um grande passo para ter o seu Centro de Treinamento. Na próxima terça-feira (sempre ela!), o Conselho Deliberativo do clube votará a aprovação da compra de um terreno na Zona Oeste. A intenção é fazer um centro que integre todas as categorias de futebol do Fogão.

A turbulência que nos abalou há alguns dias foi deixada pra trás com tantas notícias boas. Com um verdadeiro pacotão de alegrias e mais uma vitória maiúscula na Libertadores, o Alvinegro vai trilhando, com esforços próprios, seu novo caminho de volta às glórias – nosso clube é tão gigantesco que, tenho certeza, elas estão com tanta saudade quanto nós.

Nós temos o dever cívico de comparecer nas próximas partidas em casa e oferecer nossa voz em troca de tudo o que esse time vem fazendo. Parabéns também à diretoria, que se movimentou, reforçou o elenco e encaminhou um grande ganho de estrutura como legado de seu mandato. Sigamos juntos!

Notas

Gatito Fernández: 7,5
Salvou uma bola em confusão na área e depois praticamente só assistiu.

Arnaldo: 6
Bons cortes pelo alto e por baixo. No entanto, precisa pensar melhor antes de executar algumas jogadas, principalmente com a bola nos pés.

Joel Carli: 8
Seu jogo é sempre um confronto entre lentidão e posicionamento. Hoje, comandou a linha de zaga e não deixou sua falta de velocidade influir em seu jogo. Gigante na zaga.

Emerson Silva: 4,5
Vários erros capitais que, felizmente, não resultaram em gol por erro adversário. Entrou desligado, perdeu bolas dentro da área e ainda resolveu bater boca com Gatito no meio do jogo. Se teve algum ponto negativo hoje, foi ele.

Victor Luis: 5,5
Nosso cachorro de feira lutou demais como sempre, mas não teve uma de suas melhores atuações. Alguns vacilos na defesa e um pênalti infantil não marcado, mas nada que comprometesse. Tem crédito.

Rodrigo Lindoso: 5,5
Ocupou bem os espaços na frente da área, mas pecou bastante na saída de bola. Quando o jogo acalmou no segundo tempo, seu jogo melhorou um pouco.

Matheus Fernandes: 9
É impressionante o que joga esse garoto. Embora não seja surpresa alguma pra quem acompanha as divisões de base, foi monstruoso no jogo de hoje. Marcou, saiu pro jogo de cabeça em pé, distribuiu bolas e deu até dribles. Futuro craque.

João Paulo: 7,5
Um verdadeiro guerreiro. Pra ele, não tem bola perdida. Jogando mais adiantado, ainda oscila entre os momentos ofensivos e defensivos – natural pra quem ainda está se adaptando à função. Fez um gol de cavadinha com muita categoria, premiando mais uma boa atuação.

Bruno Silva: 7
Marcou muito e fechou espaços pela direita. Diante da maratona de partidas, vem dosando o fôlego – e, por isso, não participou tanto no ataque. Precisa ser poupado pra descansar.

Rodrigo Pimpão: 6,5
Correu bastante e fechou espaços. Faltou segurar a bola no ataque, principalmente no primeiro tempo.

Roger: 6
No primeiro tempo, esteve isolado e pouco foi visto. No segundo, recuou e foi mais participativo, tentando algumas tabelas.

Camilo: 6
Entrou pra segurar a bola e tentar melhorar a qualidade da saída de bola, mas pouco fez. Deveria ter jogado um pouco mais recuado, pegando os contra-ataques de frente.

Guilherme: 5,5
Entrou pra renovar a velocidade do lado esquerdo, mas quase não teve chances pra puxar contra-ataques.

Marcos Vinícius: sem nota
Pouquíssimo tempo em campo.

Jair Ventura: 7,5
Mais um grande resultado obtido com seu esquema sem posse, jogando no erro adversário. Seu único vacilo foi barrar o Igor Rabello para o Emerson Silva. Seu maior acerto foi barrar o Camilo, voltando o Matheus Fernandes, melhor em campo, ao nosso meio-campo – consequentemente adiantando o João Paulo. Seu saldo é muito positivo. Ganhará mais peças e tem tudo para crescer ainda mais.

Fonte: Blog Preto no Branco - Pedro Chilingue - ESPN FC