Na última cartada do Botafogo em busca da quebra do jejum de 17 anos sem disputar a Taça Libertadores, a cúpula do clube esteve presente no Engenhão na manhã desta sexta-feira. O presidente Maurício Assumpção, o vice geral Paulo Mendes e o vice de futebol Chico Fonseca acompanharam a atividade ao lado do gerente executivo Aníbal Rouxinol e do gerente técnico Sidnei Loureiro.

Os dirigentes haviam prometido para sexta-feira o pagamento do salário que deveria ter sido depositado no dia 20 de novembro. Durante o ano, os jogadores conviveram frequentemente com o atraso salarial, mas conseguiram se manter entre os quatro primeiros colocados.

Para conseguir a classificação, o Botafogo precisa vencer o Criciúma, domingo, no Maracanã, e torcer por um tropeço do Goiás contra o Santos e uma derrota do Atlético-PR para o  Vasco. Além disso, se terminar em quarto lugar, terá de secar a  Ponte Preta na final da Copa Sul-Americana contra o Lanús, da Argentina.

Fonte: Globoesporte.com