A conquista de um centro de treinamento foi uma das maiores conquistas da história do Botafogo, mas a sua implantação, como já era de se esperar para um procedimento desse tipo, tem algumas dificuldades.

O prazo estimado para o início do funcionamento ainda é final de abril ou início de maio. No entanto, a abertura pode atrasar dependendo de alguns procedimentos burocráticos. Primeiro, ainda resta uma pendência dos vendedores do terreno em relação à documentação para que a escritura definitiva seja assinada – por enquanto, há uma garantia de compra e venda aprovada pelo escritório de advocacia contratado para o caso, portanto a escritura definitiva é vista como apenas uma burocracia.

No entanto, as obras só começarão a ser feitas quando essa escritura estiver assinada. O objetivo é que tudo esteja pronto no início de janeiro – a data é importante porque o plantio no gramado cresce mais rápido quando feito durante o verão. Mas parece que a definição vai ficar para o final de janeiro, atrasando em algumas semanas a abertura.

Outra dúvida é como será feita a transição para o CT – se todas as divisões vão para lá de uma vez ou se a mudança será feita aos poucos. Algumas pessoas dentro do clube veem como preocupante a mudança simultânea de todas as divisões em meio a processos de montagem e adaptação dos funcionários ao local. Portanto, há uma corrente para que os profissionais se mudem para lá assim que o novo CT estiver pronto e, só depois, a base faça a mudança. Outro fator tem influência nessa “linha do tempo”: a base só pode mudar no meio ou no fim do ano – por causa do compromisso com escolas, é impossível movê-las durante o semestre letivo.

Quanto ao nome do CT, além das opções já ventiladas – “CT Carlito Rocha”, por exemplo – há uma corrente para que o espaço seja batizado de “Glorioso CT Mané Garrincha”.

O clube pretende ter seis campos no local (dois com grama natural e quatro com grama sintética) – hoje, só há um de grama natural, mas as dimensões não são oficiais. Os campos, portanto, são a principal mudança que será feita na estrutura do que hoje é o Espaço Lonier, em Vargem Pequena, Zona Oeste do Rio.

Fonte: Extra Online