Com um gol aos 11 do segundo tempo na vitória de 3 a 2 sobre o Coritiba, no Couto Pereira, o atacante Roger se ‘despedia’ temporariamente do Botafogo, para tratar um tumor no rim. Com dez tentos na competição, o Rajada deixava o time de Jair Ventura no G6 e na liderança do returno, com 40 pontos. Em breve, porém, o camisa 9 pode retornar ao grupo e, quem sabe, devolver os bons dias.

Na última terça-feira, ele voltou aos treinos no Nilton Santos. Por ora, planeja se dedicar muito e, quem sabe, jogar as últimas rodadas. O DM ainda não dá um prazo de retorno do jogador, que pode nem ficar para 2018, cobiçado por outros times, mas ele não deixa de sonhar.

Sete rodadas se passaram desde então e o Botafogo só venceu dois jogos (Chapecoense e Corinthians), caiu duas posições no returno, manteve-se em sexto e só somou oito pontos. O ataque não deixou a desejar. É verdade, tanto que os seus substitutos naturais (Brenner e Tanque) cresceram. O primeiro marcou quatro vezes. Já o menino das categorias de base marcou uma vez, contra a Chape. No entanto, o saldo de gols ficou negativo (-1).

Para facilitar a ilustração, o LANCE! dividiu os 32 jogos do Glorioso no Campeonato Brasileiro em quatro blocos de oito partidas. No último grupo, claro, constam as sete sem o atacante e mais a vitória sobre o Coxa. No período, foram somados apenas onze pontos – a pior do quarteto – e o Botafogo ficou com o saldo zerado.

Má fases de jogadores importantes 

Não só os números ilustram que a falta de Roger coincide com o pior momento do time no Brasileirão. Nesta reta final, com força máxima, o Botafogo vê algumas peças importantes caírem de rendimento.

O volante Bruno Silva, por exemplo, vê o questionamento da torcida crescer junto com o interesse do Cruzeiro. Não à toa, ele foi um dos mais perseguidos no desembarque após o empate com o Avaí.

O goleiro Gatito Fernández falhou no último sábado, na derrota para o Fluminense, e no triunfo sobre o Corinthians. Igor Rabello, um dos ‘culpados’ pela eliminação para o Grêmio, também caiu de rendimento. Contra o Corinthians, embora tenha marcado um gol, cometeu um pênalti no último minuto, que poderia ter complicado o Bota.

Confira os detalhes abaixo:

Primeiro bloco de oito jogos: 12 pontos/ 9 gols pró/7 gols contra 
Grêmio 2 x 0 Botafogo
Botafogo 2 x 0 Ponte Preta
Botafogo 1 x 0 Bahia
Flamengo 0 x 0 Botafogo
Santos 1 x 0 Botafogo
Botafogo 2 x 2 Coritiba
Vitória 2 x 2 Botafogo
Chapecoense 0 x 2 Botafogo

Segundo bloco de oito jogos: 12 pontos/7 gols pró/ 6 gols contra 
Botafogo 3 x 1 Vasco
Botafogo 0 x 2 Avaí
Corinthians 1 x 0 Botafogo
Botafogo 1 x 1 Atlético-MG
Fluminense 0 x 1 Botafogo
Botafogo 2 x 1 Sport
Atlético-PR 0 x 0 Botafogo
Atlético-GO 0 x 0 Botafogo

Terceiro bloco de oito jogos: 13 pontos/ 12 gols pró/9 gols contra 
Botafogo 3 x 4 São Paulo
Botafogo 1 x 2 Palmeiras
Cruzeiro 0 x 0 Botafogo
Botafogo 1 x 0 Grêmio
Ponte Preta 2 x 1 Botafogo
Bahia 1 x 2 Botafogo
Botafogo 2 x 0 Flamengo
Botafogo 2 x 0 Santos

Quarto bloco de oito jogos (sete sem Roger) 11 pontos/11 gols pró/11 gols contra 
Coritiba 2 x 3 Bota
Botafogo 2 x 3 Vitória
Botafogo 2 x 1 Chapecoense
Vasco 1 x 0 Botafogo
Avaí 1 x 1 Botafogo
Botafogo 2 x 1 Corinthians
Galo 0 x 0 Botafogo
Botafogo 1 x 2 Fluminense

Fonte: Terra