Nos últimos três Brasileiros, a torcida do Botafogo se animou com a possibilidade de o clube voltar a disputar a Libertadores depois de muitos anos, mas acabou frustrada. Nesta temporada, a campanha alvinegra vinha sendo mais sólida, mas a equipe teve uma queda de rendimento e chega na última rodada dependendo de outros resultados para terminar no G-4.

Em 2010, a equipe terminou em sexto, em 2011, em nono, e em 2012, no sétimo lugar. Agora, o Bota está em quinto lugar com 58 pontos e precisa vencer o Criciúma, domingo, no Maracanã, e torcer por um tropeço ou do Santos, que enfrenta o Goiás, ou do Atlético-PR, que encara o Vasco.

O lateral-direito Edilson afirmou que o clima é de otimismo, mas disse que no caso de o objetivo não ser cumprido, o ano não terá sido inteiramente perdido.

– Não acredito que seria um ano jogado fora, até porque acertamos bastante, e isso tem que ser levado em conta. Claro que seria uma grande tristeza se não conseguirmos a vaga, uma frustração geral nossa e da torcida. Não podemos pagar por anos anteriores. O que passou, passou. Vamos para o último jogo com chances, e nos resta acreditar até o final. Podemos conseguir.

O jogador, que volta ao time depois de cumprir suspensão, comentou sobre como será a comunicação entre os jogadores de diferentes clubes nesta semana, já que muitas equipes dependem de resultados de outros jogos. Edilson contou que ainda não entrou em contato com ninguém, e acredita que todos os times entrarão em campo sem baixar a guarda.

– Eu ainda não falei com ninguém, mas tenho amigos no Santos, por exemplo. Joguei junto com o Aranha. Poderia desejar boa sorte a ele, mas acho que todos vão entrar e dar o melhor em campo para defender o escudo do clube e sua imagem.

Botafogo e Criciúma se enfrentam no domingo, às 17h (de Brasília), no Maracanã. Segundo o matemático Oswald de Souza, a equipe tem 47% de chance de classificação para Libertadores.

Fonte: Globoesporte.com