Numa briga direta pelo G-6 do Brasileiro, o Botafogo visita o Internacional, hoje, às 21h, no Beira-Rio. Pelo menos na teoria, a chance de vencer aumenta, já que o adversário, pensando na semifinal da Copa do Brasil, mandará a campo uma equipe reserva. Somente quatro pontos separam o Alvinegro — em 9º, com 23. O Atlético-MG fecha, com 27 — deste pelotão de elite do campeonato. E a distância estaria ainda menor, caso o time não tivesse tropeçado, no Nilton Santos, na Chapecoense, na segunda-feira passada.

— Deixei muito claro após o jogo que não foi o resultado que gostaríamos. Em nenhum momento ficamos satisfeitos com o empate em casa — reconheceu o técnico Eduardo Barroca.

Em que pese a frustração de não ter vencido a última partida, ele fez um balanço positivo das rodadas recentes.

— Nos últimos quatro jogos, o Botafogo ganhou dois, perdeu um e empatou outro. Se a cada ciclo de quatro partidas somarmos sete pontos, estaremos próximos do G-6 — salientou Barroca.

Olhando no retrovisor, o treinador alvinegro fez uma análise sobre as bolas paradas:

— Nos meus primeiros dez jogos, tínhamos um aproveitamento baixo. Hoje, estamos num nível satisfatório de bola parada ofensiva — ressaltou.

Com apenas 14 gols marcados em 16 partidas, o Botafogo é o que tem o ataque menos eficiente entre os que estão na primeira metade da tabela de classificação. E isso virou uma dor de cabeça para Eduardo Barroca.

— Estamos trabalhando diariamente para encontrar formas de melhorar o desempenho nesse sentido — reconheceu.

Gaúchos não foram derrotados no Beira-Rio

Logo mais, o Botafogo vai enfrentar um Internacional que vem de eliminação, em casa, para o Flamengo, há três dias, nas quartas de final da Libertadores. E por decidir, na quarta-feira, vaga à decisão da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, entrará em campo hoje poupando a maioria dos titulares.

Ainda assim, o técnico do Botafogo sabe que todo cuidado é pouco para a partida.

— O Internacional tem um elenco muito forte. Só quem está lá dentro pode falar que tipo de motivação eles terão para esse jogo. Algo que não controlamos. Prefiro focar toda a minha energia e atenções naquilo que posso desenvolver no meu grupo, melhorar, dar confiança aos jogadores — disse.

Enquanto o Alvinegro tenta a terceira vitória fora do Rio (derrotou CSA, por 2 a 1, e Avaí, por 2 a 0), a equipe gaúcha está invicta dentro do Beira-Rio. São seis vitórias e dois empates. Em 2018, foi apenas uma derrota da equipe no torneio em Porto Alegre.

Fonte: Extra Online