Um dos favoritos a conquistar a vaga para a próxima Libertadores, o Botafogo tem se arrastado nesta reta final de temporada. A queda de rendimento veio em um momento nada adequado e o time saiu do G-7 pela primeira vez em 12 rodadas. No atual cenário, o Alvinegro já não depende somente de si para voltar a disputar a Libertadores.

Além de vencer o Cruzeiro, no domingo, o Botafogo, antes, terá de torcer para o Grêmio ser campeão da Libertadores na próxima quarta-feira, na Colômbia. Assim, O G-7 passa a ser G-8 e as chances aumentam. Nesse caso, o Alvinegro passaria a depender apenas dos três pontos diante dos mineiros no Nilton Santos.

Caso o Grêmio leve a virada e fique com o vice-campeonato da Libertadores, o Botafogo, então, terá que torcer por um tropeço de Vasco ou Flamengo contra Ponte Preta (São Januário) ou Vitória (Barradão), respectivamente. Situação delicada, ainda mais para quem já foi um dos favoritos a ficar com a vaga.

A situação pode ficar ainda pior caso o Botafogo não faça seu dever de casa. Em caso de tropeço, o Alvinegro terá que torcer também contra Atlético-MG e Chapecoense. Nessa situação, o time, caso termine em 9º, ainda terá chance de se classificar para a Libertadores, mas terá que torcer para o Flamengo ser campeão da Sul-Americana.

“Nunca foi fácil. Infelizmente perdemos, mas vamos buscar forças para buscar a classificação contra o Cruzeiro. Temos que acreditar no que podemos. Não queríamos depender dos outros, mas infelizmente vamos ter que vencer e torcer por outros”, resumiu João Paulo, um dos destaques da equipe.

Mas afinal, de quem é a culpa? O técnico Jair Ventura fez o seu papel do líder e puxou para si a responsabilidade. Mas será do treinador a maior parcela?

“Tudo que o eu falar agora vai parecer desculpa e será redundante. Se eu falar das perdas que tivemos… Agora com o Roger já são 13 jogos sem o meu artilheiro. Se eu falar da qualidade individual do Palmeiras também será redundante. Então o treinador é pago para criar alternativas quando você perde jogadores. E eu não consegui criar alternativas. Então o grande responsável sou eu”, disse Jair Ventura.

Após viver um dos melhores momentos da história recente, o Botafogo se caminha para mais um fim de temporada melancólico. As eliminações na Copa do Brasil e, principalmente, Libertadores foram determinantes para o time perder as forças. A reta final do Brasileiro não faz jus ao time guerreiro que encantou a torcida em grande parte de 2017.

Fonte: UOL