O técnico Ricardo Gomes foi o primeiro a sair em defesa de Helton Leite quando Jefferson precisou se afastar para tratar uma lesão no braço esquerdo. Logo que soube que perderia seu capitão por três meses, o treinador bancou a titularidade do então reserva, apesar da decisão da diretoria de contratar o experiente Sidão (ex-Audax-SP), de 33 anos. Mas, oito partidas depois, o comandante já admite que pode transferir a camisa 1 para o reforço.

A possibilidade surgiu depois de mais uma atuação insegura de Helton. Ele falhou no segundo gol marcado pelo Santos, domingo, no Pacaembu. A derrota por 3 a 0 empurrou o Alvinegro para a lanterna do Campeonato Brasileiro. São apenas quatro pontos conquistados em dezoito disputados.

— Vamos conversar durante a semana sobre uma possível mudança na posição. O Helton é um bom goleiro, mas, pela primeira vez, é titular em um time de Série A. Isso tem um peso — ponderou Ricardo Gomes.

Nas oito partidas que disputou, Helton acumulou erros contra o Juazeirense-BA, pela Copa do Brasil, e ante São Paulo, Sport, Cruzeiro e Santos, no Brasileiro.

O goleiro é parte do problema de uma equipe que ainda não saiu de campo sem sofrer gols na competição nacional. E é também o principal símbolo do desmoronamento da defesa que se orgulhou de ter sido a menos vazada, junto com a do Vasco, no Campeonato Estadual.

O Botafogo precisou de 18 jogos para sofrer seus primeiros oito gols na temporada — marca já atingida em apenas seis rodadas do Brasileiro.

Fonte: Extra Online