Demitida em fevereiro deste ano, apenas um dia após o nascimento de seu filho, a ex-diretora jurídica do Botafogo Joana Prado entrou com uma ação contra o clube pedindo vencimentos que considera que eram devidos e indenizações. De acordo com o blog “Bastidores FC”, do site Globoesporte.com, ela estaria com cinco meses de salários atrasadas quando foi dispensada. O valor pedido por ela é “potencial alto”, segundo o advogado do caso, Theotonio Chermont de Britto.

– O processo dela tem umas questões complicadas e não quero agora, nesse momento, entrar em detalhes. Mas ela distribuiu uma ação, tem valor potencial alto caso os pedidos dela prevaleçam, até porque era uma pessoa bem remunerada. Processo é uma incógnita, pode ganhar, pode perder, pode ganhar parte, tudo é subjetivo. Sou advogado dela e a gente entende que há uma série de benefícios que foram sonegados ao longo do contrato e também indenizações previstas em lei – disse Chermont de Britto ao blog.

Fonte: Globoesporte.com