Após mais de 50 anos de serviços prestados ao clube, o ex-zagueiro e ídolo Sebastião Leônidas foi demitido pelo Botafogo na última semana, em decorrência dos problemas financeiros provocados pela paralisação do futebol por conta da pandemia do novo coronavírus. Ele falou pela primeira vez e mostrou-se chateado com a forma como tudo aconteceu.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

– Claro que estou triste, depois de todos os anos e todas as alegrias que dei ao clube, parece que, no fim, a recompensa dada é essa. Talvez não tenha havido um reconhecimento, entende?! Claro que eu tô chateado, até porque ninguém fica feliz com uma situação assim – afirmou Leônidas, ao Globo, negando que seu salário fosse alto:

– Quem disse isso (sobre salários) certamente está brincando. Funcionário não tem alto salário. Quem tem alto salário é jogador. Acho até que, talvez, poderia ser feito de outra maneira, com uma conversa. Se eles achavam que meu salário era alto, poderiam diminuir, negociar. Demitir assim, eu achei uma violência.

Leônidas estava trabalhando nas categorias de base do Botafogo desde 2012 e agradeceu ao carinho que recebeu dos torcedores nas redes sociais, afirmando que agora resta apenas a aposentadoria.

– Moro em Piedade (bairro da Zona Norte do Rio) com a minha família, sou aposentado pelo INSS desde 1994, mas dinheiro de aposentadoria, no Brasil, com preço de plano de saúde e mais todas as outras necessidades não dá pra nada. Mas, com essa idade (82), eu vou procurar emprego aonde? Trabalhar com o quê? Tenho mais é que me aposentar mesmo – disse.

Fonte: O Globo Online